Torcedores do Cruzeiro voltam a colaborar com pagamentos de salários

Grupo enviou dinheiro ao clube na última quinta-feira (28)

31/10/2021 17:30 / atualizado em 31/10/2021 19:15
compartilhe
Cruzeiro vem recebendo ajuda de torcedores para quitar parte dos salários; campanha da AGC já arrecadou mais de R$55 mil
foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Cruzeiro vem recebendo ajuda de torcedores para quitar parte dos salários; campanha da AGC já arrecadou mais de R$55 mil


A Associação Grandes Cruzeirenses (AGC) voltou a colaborar para o pagamento de salários de funcionários do clube. O valor de R$22.800,00, arrecadado mediante doações de torcedores, foi transferido para a conta da instituição na quinta-feira, 28 de outubro.

Com o depósito de R$22.800,00, a campanha “Aqui a torcida banca o time!” chegou a R$48.800,00, visto que o primeiro repasse, em 14 de outubro, fechou em R$26.000,00.

O cruzeirense que quiser doar pode utilizar cartões de crédito e/ou débito, PIX com chave QR Code, transferência DOC/TED, boleto e débito em conta.

O banco que receberá o dinheiro é o mesmo que atende o clube - Santander (código 033), agência 3476, CC: 130081757, CNPJ da AGC: 24.567.595/0001-20.

No site da Associação há valores previamente definidos em alusão aos anos de títulos importantes do Cruzeiro (clique aqui e saiba mais detalhes) :

  • R$15,66 (Taça Brasil)
  • R$30,76 (Copa Libertadores)
  • R$50,91 (Supercopa)
  • R$70,92 (bi da Supercopa)
  • R$100,93 (Copa do Brasil)
  • R$300,96 (bi da Copa do Brasil)
  • R$600,03 (Tríplice Coroa)
  • R$1.013,14 (bi consecutivo do Brasileirão)
  • R$1.921,42 (Nascidos Palestra Forjados Cruzeiro)
  • R$6.017,18 (bi consecutivo da Copa do Brasil)

A ação coordenada pela AGC é uma forma de aliviar a situação econômica da Raposa, que lida com dívida de R$962 milhões, ante uma arrecadação na casa de R$120 milhões.

Recentemente, jogadores e funcionários fizeram greve por causa de salários atrasados, porém voltaram às atividades normais após o clube viabilizar R$9 milhões junto a empresários, entre eles Pedro Lourenço, do Supermercados BH.

O cenário em 2022 é de incertezas, visto que o Cruzeiro não subirá à Série A. A esperança é que em 2022 o clube crie a Sociedade Anônima do Futebol e venda 49% das ações a investidores, que ficarão encarregados de montar um time que volte à elite nacional.

Compartilhe