UAI


Koeman evita falar sobre futuro no Barcelona; reunião deve definir a saída

Derrotas seguidas na Liga dos Campeões devem resultar em dispensa

29/09/2021 21:05 / atualizado em 29/09/2021 22:22
compartilhe
Ronald Koeman é alvo de muita cobrança no Barcelona após derrotas contundentes
foto: Patrícia de Melo Moreira/AFP

Ronald Koeman é alvo de muita cobrança no Barcelona após derrotas contundentes


Os dias de Ronald Koeman parecem contados no Barcelona após duas derrotas seguidas na Liga dos Campeões, sem nenhum chute no gol, e com a equipe na lanterna da chave. O treinador evitou falar sobre seu futuro após derrota por 3 a 0 diante do Benfica, disse "não depender dele", mas sabe que pode perder o emprego nesta quinta-feira.

Uma reunião no clube catalão vai definir o destino do treinador. A decisão está nas mãos do presidente Juan Laporta, que foi ao vestiário do estádio do Dragão para conversar com o técnico holandês, mas não quis tomar atitudes com a cabeça quente.

Ex-ídolo do clube, Xavi Hernández seria o nome de consenso para a vaga de Koeman. O ex-meia já dirigiu clubes no futebol árabe EW não seria uma "aposta." Mas também foi especulado o nome de Andrea Pirlo, ex-Juventus. A imprensa espanhola informa que dificilmente o holandês estará no comando do time no fim de semana, pelo Campeonato Espanhol.

Sereno, o técnico evitou o assunto. "Não posso dizer nada sobre o meu futuro porque não sei o que o clube pensa a este respeito. Não está nas minhas mãos e veremos", afirmou, antes de se defender. "Estamos em um momento em que mudamos muitas coisas e há muitos jogadores faltando, não é necessário repetir qual é o problema."

Mesmo com a equipe jogando mal na Liga dos Campeões e sem saber sobre seu destino, o treinador falou em classificação às oitavas "Vejo o Barcelona nas oitavas-de-final. Se vencermos os dois jogos contra o (Dynamo) Kiev e o Bayern mostrar a sua superioridade frente ao Benfica, teremos seis pontos e eles portugueses) quatro, e vamos depender de nós próprios. Penso que não é tão complicado", avaliou. Nas contas do técnico, o Barcelona chegaria à quinta rodada dependendo de um triunfo sobre os portugueses para avançar com na segunda vaga do grupo caso ganhe ambas contra os ucranianos.

Ter o grupo na mão seria seu último argumento de defesa para não perder o emprego. "Só posso comentar o meu trabalho com a equipe Me sinto apoiado pelos meus jogadores e pela sua atitude. O resto não sei", concluiu.

Compartilhe