UAI

2

Risco de ficar fora da Copa do Mundo leva Pogba a evitar cirurgia no joelho

Com lesão no joelho direito, volante, de volta à Juventus após seis anos no Manchester United, ficará fora dos gramados até setembro

02/08/2022 20:57 / atualizado em 02/08/2022 21:10
compartilhe
Com receio de perder a Copa, Pogba opta por tratamento conservador
foto: Franck Fife/AFP

Com receio de perder a Copa, Pogba opta por tratamento conservador


Perder a Copa do Mundo com a Seleção Francesa está fora de questão para Paul Pogba. Lesionado no joelho direito, o volante ficará afastado dos gramados até meados de setembro, mas optou por evitar uma cirurgia que poderia fazê-lo perder a maior competição do futebol, no fim do ano, no Catar. 

O campeão mundial, de 29 anos, que faz parte da seleção de Didier Deschamps, passará por uma "terapia conservadora durante cinco semanas", disse à AFP um porta-voz da Juventus nesta terça-feira, clube para o qual Pogba voltou neste verão após seis anos no Manchester United.

"Paul será submetido a um tratamento que lhe permitirá voltar a campo em breve com a Juventus e disputar a Copa do Mundo", destacou também à noite a comitiva de sua agente, Rafaela Pimenta.

O jogador se machucou em um treino há dez dias, durante a turnê dos 'bianconeri' pelos Estados Unidos. Vítima de uma "lesão no menisco lateral" do joelho direito, Pogba ouviu a opinião de vários especialistas sobre os possíveis tratamentos e em particular sobre a necessidade ou não de uma cirurgia.

Ele também se encontrou nesta terça-feira em Lyon com um renomado especialista, que recentemente operou o astro Zlatan Ibrahimovic.

Dependendo da natureza da cirurgia, meniscectomia (remoção da parte lesionada do menisco) ou sutura, a duração de sua indisponibilidade poderia ter variado de dois e quatro meses aproximadamente, comprometendo sua participação na Copa do Mundo do Catar-2022 (que será disputada de 21 de novembro a 18 de dezembro).

A "terapia conservadora" que acabou sendo escolhida pelo jogador e seu clube consiste em fazer um tratamento sem recorrer a uma operação. Ela incluirá, segundo o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, "três semanas entre academia, piscina e fisioterapeuta, e as duas últimas em campo para realizar um trabalho atlético diferenciado".

Compartilhe