UAI


Presidente do Palmeiras dispara contra arbitragem de jogo com Atlético

'Impressionante a falta de critério', reclamou Maurício Galiotte

24/11/2021 00:56 / atualizado em 24/11/2021 02:30
compartilhe
Presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte disparou contra a arbitragem devido à validação do gol de Hulk
foto: Cesar Greco/Palmeiras

Presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte disparou contra a arbitragem devido à validação do gol de Hulk



Presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte disparou contra a arbitragem do jogo contra o Atlético. As equipes empataram por 2 a 2 nesta terça-feira, no Allianz Parque, em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Impressionante a falta de critério da arbitragem e do VAR para lances tão parecidos, com decisões tão diferentes. Lamentável o despreparo. Precisamos evoluir muito nas questões envolvendo a arbitragem", criticou, em publicação do clube nas redes sociais.

A reclamação do dirigente se deve à validação do segundo gol do Atlético, marcado por Hulk. No lance, o atacante finaliza de fora da área. Em posição de impedimento, o meia Nacho Fernández sai da frente da bola, que para no fundo das redes.

O Palmeiras entende que o armador argentino atrapalha a visão do goleiro Jailson na jogada e que, portanto, o gol deveria ter sido anulado. A arbitragem de campo e de vídeo, porém, não identificaram nenhuma irregularidade na jogada.

A crítica a respeito da "falta de critério" se deve a dois lances que envolveram o Palmeiras em rodadas recentes do Brasileirão (assista no vídeo acima). No último sábado, o time alviverde foi derrotado por 1 a 0 pelo Fortaleza, no Castelão, pela 34ª rodada da Série A. Nos minutos finais daquela partida, ocorreu uma jogada muito semelhante à do gol de Hulk.

Hulk comemora gol do Atlético no empate contra o Palmeiras
foto: Pedro Souza/Atlético

Hulk comemora gol do Atlético no empate contra o Palmeiras



Na ocasião, o volante Patrick de Paula finalizou de fora da área. O zagueiro Gustavo Gómez, em posição de impedimento, abre as pernas e deixa passar a bola, que para no fundo das redes. A arbitragem de vídeo, porém, entende que há irregularidade e chama o árbitro de campo, que anula o gol.

Houve, ainda, um outro episódio semelhante na derrota alviverde por 2 a 1 para o Fluminense, pela 32ª rodada, em 14 de novembro. No gol da virada do Flu no Maracanã, Yago Felipe finaliza de fora da área. Em posição de impedimento, o meia Juan Cazares se afasta da bola, que para no fundo das redes. A arbitragem não invalidou o lance.

"Admitimos no último jogo que o gol (contra o Fortaleza) foi muito bem anulado. Quando saiu o gol (de Hulk), o Marcos Rocha viu claramente o que aconteceu, falou com o árbitro. A pressa que teve para buscar a bola no gol e recomeçar o jogo é incompreensível. O VAR só funciona às vezes", criticou João Martins, auxiliar técnico responsável por comandar o Palmeiras contra o Atlético.


Compartilhe