Santos

RACISMO

Richarlison e Marinho protestam contra racismo: 'Sociedade preconceituosa'

Jogadores se manifestam após morte de João Alberto em supermercado

postado em 20/11/2020 19:39

Um dos jogadores brasileiros que mais tem se posicionado contra o racismo, Marinho fez uma reflexão nesta sexta-feira, Dia da Consciência Negra e desabafou sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas, um homem negro, de 40 anos, que foi espancado por dois seguranças brancos em uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre.

Marinho indicou que são necessárias ações, e não só engajamento nas redes sociais, para combater o racismo, e cobrou das autoridades punição severa para os seguranças que espancaram João Alberto até a morte. Os dois tiveram prisão preventiva decretada. Um deles, Giovani Gaspar, é policial militar, e ambos são funcionários de uma empresa terceirizada, a Vector Segurança.

"Dia da Consciência Negra. Talvez eu fique pensando que só existe no calendário, e pra postar foto dizendo que Vidas Negras importam. Na prática, sabemos que é tudo ao contrário", criticou o atacante santista, em publicação em seu perfil no Instagram.

"Notícia absurda que temos da morte do seu João Alberto ontem no estacionamento do Carrefour em Porto Alegre. Aí eu pergunto, vai ter punição severa, os bandidos vão ser presos? Ou vão pagar fiança e serem soltos para cometer outro crime? Reflexo de uma sociedade preconceituosa para cara***", desabafou Marinho.



Outro atleta muito ativo em defesa dos direitos humanos, com postura firme contra o racismo e outros preconceitos e acostumado a usar sua voz para apoiar causas sociais, Richarlison mostrou indignação pela morte de João Alberto. "Covardia demais", esbravejou o atacante do Everton e da seleção brasileira.

"Parece que a gente não tem saída... Nem no dia da Consciência Negra. Aliás, que consciência? Mataram um homem negro espancado na frente das câmeras. Bateram e filmaram. A violência e o ódio perderam de vez o pudor e a vergonha. George Floyd, João Pedro, Evaldo Santos foram em vão?", completou o jogador, em referência a outros negros assassinados recentemente.

Vale lembrar que a morte de Floyd, um dos citados por Richarlison, em maio deste ano, nos Estados Unidos, provocou uma onda de protestos em todo o mundo contra a discriminação racial e a brutalidade policial diante dos negros.

Tags: racismo Porto Alegre marinho Carrefour Dia da Consciência Negra selefut santossp richarlison João Alberto Silveira Freitas