Mais Esportes

OLÍMPIADAS

Comitê Olímpico do Brasil planeja vacinação de atletas para Olímpiadas

Governo federal faz parte da negociação; credenciados ee atletas do Paralímpico também seriam vacinados

postado em 28/04/2021 11:24

(Foto: Rafael Bello/COB)
O governo federal e o Comitê Olímpico do Brasil (COB) seguem negociando como deverá funcionar a vacinação contra a COVID-19 para atletas, demais membros da delegação e jornalistas credenciados para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio-2020, no Japão, que acontecerão entre o final de julho e o início de setembro.

Membros do COB e dos ministérios da Saúde e da Defesa fizeram uma reunião na terça-feira e acordaram que cerca de 1.400 possíveis participantes dos eventos esportivos deverão fazer parte do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19 (PNO). As doses serão dadas pelo laboratório chinês Sinovac e serão fornecidas ao governo federal pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), que receberá doações do Comitê Olímpico da China.

Na última sexta-feira, o COB já havia afirmado que não pretende furar a fila de vacinação em vigor no País. A entidade disse que foi procurada pelo Ministério da Defesa para discutir o assunto, sem dar maiores detalhes sobre o plano de vacinação para os atletas.

Em breve comunicado oficial, o COB confirmou esta intenção. "O Comitê Olímpico do Brasil confirma que foi procurado pelo Ministério da Defesa e pelo Comitê Olímpico Internacional para tratar da vacinação da delegação olímpica e paralímpica do Brasil nos Jogos de Tóquio 2020 e está conversando com as entidades para definir o caminho a ser seguido, respeitando o plano nacional de imunização".

A entidade, no entanto, não explicou que os atletas brasileiros serão vacinados sem "furar a fila" do Plano Nacional de Imunização (PNI). No momento, somente idosos e pessoas com comorbidade estão recebendo as duas doses do imunizante. Antes foram vacinados profissionais da saúde, indígenas e quilombolas. No Estado de São Paulo, a fila terá na sequência profissionais de segurança pública e administração penitenciária e, em seguida, profissionais da educação básica a partir de 47 anos.

De acordo com o COB, a imunização dos atletas olímpicos deve acontecer via Ministério da Defesa. A relação entre as Forças Armadas e os esportistas brasileiros é muito próxima porque parte deles é integrante de uma das três Forças. Ao menos 44 atletas da delegação brasileira que disputará os Jogos Olímpicos podem desembarcar no Japão já vacinados. Sendo militares, eles fazem parte do grupo prioritário do Ministério da Saúde.

A vacinação de integrantes das Forças Armadas foi antecipada pelo Ministério da Saúde e já começou, mas, por enquanto, só para o grupo que vem atuando diretamente nas ações de enfrentamento à pandemia. Assim, os atletas militares ainda não foram chamados para se imunizarem, o que pode ocorrer até 23 de julho, data da abertura dos Jogos Olímpicos.

Há a possibilidade também de o COB usar eventuais vacinas que o Comitê Olímpico Internacional (COI) deve comprar da China nas próximas semanas. A entidade internacional tem o placar de vacinar boa parte dos atletas que estarão em Tóquio. Mas o COI também não revelou detalhes sobre seu plano e programação.

Tags: japao olimpiadas pandemia vacinacao toquio2020 covid-19