SPORT

Após invasão em comemoração do acesso, VP patrimonial do Sport fala sobre 'prejuízo moral'

Otávio Coutinho coloca que danos estruturais ainda não foram calculados, mas critica postura de torcedores depois vitória contra Ponte Preta

postado em 22/11/2019 16:00 / atualizado em 22/11/2019 16:12

(Foto: Reprodução/Twitter)
Passado o êxtase pela emocionante classificação à Série A com vitória de virada sobre a Ponte Preta, chegou a hora da diretoria do Sport calcular os prejuízos causados pelos danos feitos por torcedores à llha do Retiro. Na festa, houveram diversos locais onde houve depredação do patrimônio do clube,ao menos é o que indica o vice-presidente patrimonial do Sport, Otávio Coutinho, que se mostrou insatisfeito com a postura dos torcedores.  

“O prejuízo é mais moral que financeiro. Esses jogos, todos esses títulos que tem muita torcida, existem esses vandalismos. Pois esse pessoal, se tá triste, quebra pela tristeza, e se está alegre, quebra porque está alegre, mas o Sport tem que absorver essa situação, afinal, a polícia não tem o que fazer. No banheiro, por exemplo, a polícia não tem como entrar, aí eles quebram tampa de privada, mas, no fim, é um prejuízo que revolta, porque é a torcida do Sport. Se fosse a torcida adversária, a gente entenderia que está revoltada porque o time perdeu, mas a do Sport?”. 

Sobre o alambrado, parte mais custosa dos danos causados ao estádio na comemoração, o dirigente coloca que ele cumpriu sua função de tentar dar segurança ao gramado. Por isso, com a invasão do campo após o apito final que decretou a promoção do Sport à Primeira Divisão e a consequente invasão, a estrutura acabou danificada. Porém, ainda não há estimativa dos prejuízos financeiros. 

“O alambrado já é uma coisa que dependendo da parte danificada, é o que importa mais dinheiro, mas de repente, o pessoal da segurança acha que o alambrado foi uma maneira até de se proteger do tumulto, mas ainda não levantei, pois ainda tenho que ver a parte de alambrado e alvenaria do local.”