Cruzeiro: Mauro Cezar diz que Corinthians corre risco de 'cruzeirar'

Time celeste virou exemplo de administração desastrosa

28/08/2021 17:36 / atualizado em 28/08/2021 18:13
compartilhe
Mauro alerta para momento perigoso que vive o Corinthians
foto: Reprodução

Mauro alerta para momento perigoso que vive o Corinthians

O assunto do momento na imprensa paulista é o alto poder de investimento do Corinthians, que tem contratado grandes nomes nas últimas semanas. O time alvinegro anunciou três jogadores de peso para a atual temporada: Giuliano, Renato Augusto e Róger Guedes. Apesar disso, o Timão tem quase R$ 1 bilhão em dívidas e não consegue diminuir este passivo.

O comentarista Mauro Cezar Pereira disse que o Corinthians corre o risco de acabar como o Cruzeiro, endividado, com um time pouco competitivo e amargando a Série B do Campeonato Brasileiro.

"O Corinthians segue o roteiro mais perigoso possível. E é incrível ver torcedor alvinegro concordando com isso, mesmo depois de verem onde foi parar o Cruzeiro. Nem o fato de o clube paulista ter maior poder de arrecadação o livra do risco de uma "cruzeirada", mesmo que ela não seja "master", como a dos mineiros", disse o comentarista em seu blog no UOL.

O Cruzeiro virou o exemplo a não ser seguido no Brasil. O clube mineiro tem uma dívida de quase R$ 1 bilhão e viu as receitas caírem na Série B. Com a ajuda de parceiros, a diretoria tenta colocar os salários em dia. Hoje, o time celeste está na 14ª posição da segunda divisão, com 24 pontos, a 11 do G4 - o Botafogo abre o grupo dos quatro primeiros, com 35 pontos.

Além de má gestão, o Cruzeiro pode ter sido assaltado por dirigentes, como sustenta a Polícia Civil e o Ministério Público. Ex-administradores do clube, Wagner Pires de Sá, Itair Machado e Sérgio Nonato são réus na Justiça por crimes contra o clube. Foi na gestão deles que o time caiu para a segunda divisão e acumulou débito quase impagável.

Times de futebol de narradores, apresentadores e comentaristas de TV



Mauro disse que o torcedor não deve ser fiel a dirigente. "Em algum tempo, (corintianos) deverão lamentar mais e mais com novo enfraquecimento técnico, enquanto o maior rival do Estado deverá seguir forte financeiramente e em campo. E com alguns adversários de fora dando uma passada por São Paulo para vencer seguidas vezes na zona leste. Ser fiel a dirigentes não é sinal de fidelidade ao clube de coração".

O comentarista ainda comparou o momento do Flamengo em 2015 com o Corinthians atual. Neste sábado, torcedores recuperaram um vídeo dele dizendo que havia jornalista paulista preocupado com a situação financeira do Flamengo, que naquele momento fazia esforço para ter o atacante Guerrero. Apesar dessa contratação, o time carioca continuou a reduzir o seu débito.

"Em 2015, o Flamengo começava a colher os frutos de sua reestruturação. Na contramão, dirigentes corintianos, que prometeram austeridade há alguns meses, contratam bons atletas que oneram os cofres do clube como se não houvesse amanhã", frisou Mauro.

Compartilhe