Futebol Feminino

BRASILEIRO FEMININO A2

Cruzeiro encara o São Paulo no Sesc e busca milagre na decisão do Brasileiro Feminino A2

No jogo de ida, no Pacaembu, as mineiras foram derrotadas por 4 a 0

postado em 25/08/2019 07:00 / atualizado em 24/08/2019 19:10

<i>(Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)</i>
Um time diferente, ofensivo, já que precisa golear. Mas com cautela defensiva, pois não pode sofrer um gol sequer. Esse será, segundo Hoffmann Túlio, técnico da equipe feminina do Cruzeiro, como o time deverá jogar, neste domingo, contra o São Paulo, no segundo e decisivo jogo da final da Série A2 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. 

Na primeira partida, o time paulista goleou por 4 a 0, o que obriga o time celeste a, no mínimo, devolver o placar para forçar a decisão por pênaltis. Para sair campeão no tempo normal, a Raposa precisa ganhar por cinco gols de diferença. O jogo será às 14h, no Estádio das Alterosas, no Sesc Venda Nova, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

O time celeste sofreu duas derrotas em 12 jogos, ambas para equipes paulistas: Taubaté (2 a 1) e São Paulo (4 a 0). Isso, segundo o treinador, se explica pelo fato de as equipes paulistas terem um campeonato regional forte.

“No meio dessa semana, o São Paulo jogou contra o Santos. Na semana passada, antes do primeiro jogo da final, enfrentaram o Palmeiras. Enquanto isso, nós estávamos só treinando. Não ter um Mineiro acontecendo, é prejudicial. A melhor maneira de ganhar ritmo é jogando. Enquanto nós disputamos 11 partidas esse ano, os times de São Paulo já jogaram 30”, disse. 

A derrota no primeiro confronto fez Hoffmann mudar a maneira de preparar a equipe. Além dos treinos, o treinador teve de trabalhar a parte psicológica das jogadoras. “No primeiro jogo, estávamos jogando de igual para igual, até que sofremos o primeiro gol. Isso baqueou o nosso time. Sete minutos depois, sofremos o segundo. Fomos para o intervalo com 2 a 0. No segundo tempo, isso se repetiu. Levamos mais um gol e sete minutos depois, outro. Isso não pode acontecer hoje”, complementou Túlio.

E a necessidade de vencer com um placar dilatado, fez Hoffmann mexer no time. No gol, Camila, que é das mais experientes do grupo, entra no lugar da jovem Renata, que falhou em São Paulo. No ataque, ele escala uma centroavante de área, Kim. Falta definir apenas quem sai: Vanessa, Miriã ou Micaeli.

Reação

A atacante Miriã, uma das revelações do futebol feminino brasileiro esse ano, diz que o time tem de ter um comportamento bem diferente do que teve no primeiro jogo para vencer e buscar o título.

“Temos que impor nosso ritmo. Temos de estar concentradas, o que não aconteceu em São Paulo. Perder ou ganhar faz parte do jogo. Mas aprende-se mais com a derrota e acho que tivemos uma grande lição no domingo passado. Temos de colocar isso em prática hoje. E temos um grande aliado para a partida de hoje: a torcida.”

Casa cheia?

E para contar com o apoio dos torcedores, o Cruzeiro definiu entrada gratuita para o jogo no Sesc Venda Nova, que tem capacidade para 2.000 pessoas. Os portões serão abertos às 12h e o acesso será feito pela Portaria 2, localizada na Rua José Felix Martins, número 1246, no Bairro Mantiqueira.

A divisão no estádio será da seguinte forma: 1.200 cruzeirenses serão encaminhados às cadeiras e outros 600 às arquibancadas. Os outros 200 ingressos serão destinados à torcida do São Paulo. O jogo decisivo também será transmitido em rede nacional, pela TV Bandeirantes.

CRUZEIRO X SÃO PAULO

Cruzeiro
Camila; Janaína, Pires, Lia (Jajá) e Isa Leone; Isabela, Natália e Duda; Vanessa, Kim e Miriã (Micaele). Técnico: Hoffmann Túlio

São Paulo
Carla; Rhais regina, Jacqueline, Andressa e Vitória; Cris, Chaiane e Ittilia; Dyne, Bruna e Valéria. Técnico: Lucas Piccinato

Motivo: segundo jogo da final do Brasileiro Feminino Série A2
Local: Estádio das Alterosas, no Sesc Venda Nova, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 24 de agosto de 2019 (domingo), às 14h
Árbitra: Francielly Fernanda Lima de Castro (MG)
Assistentes: Fernanda Nandréa Gomes Antunes e Carolina Costa Silva (MG)

Tags: cruzeiro futfeminino interiormg saopaulosp