UAI

2

Wellington Paulista vê Fortaleza como exemplo para o América na temporada

Experiente centroavante espera repetir no Coelho o bom desempenho no Leão do Pici e disse que o foco está na dedicação e no trabalho

28/01/2022 20:55 / atualizado em 28/01/2022 21:03
compartilhe
Wellington Paulista espera repetir no América o bom desempenho pelo Fortaleza
foto: Mourão Panda/América

Wellington Paulista espera repetir no América o bom desempenho pelo Fortaleza


Mais um reforço apresentado pelo América, o atacante Wellington Paulista chegou ao clube com motivação de sobra para repetir o bom desempenho em sua última equipe, o Fortaleza. O experiente centroavante vê o Leão do Pici como exemplo para o Coelho ter uma temporada ainda melhor em 2022. 

Wellington Paulista, de 38 anos, vestiu a camisa do Fortaleza com sucesso. Entre 2019 e 2021, disputou 148 jogos e fez 42 gols. Na temporada passada, ele alternou entre reserva e time titular, mas foi importante para o Leão do Pici que, entre outros feitos, assegurou presença na Copa Libertadores de 2022.

O objetivo de Wellington Paulista é repetir o bom desempenho com a camisa do Coelho. Ele citou o Fortaleza como exemplo para o Coelho se firmar em definitivo no cenário nacional e ainda buscar feito histórico no continente: chegar pela primeira vez à fase de grupos da Copa Libertadores. 

"Na missão de crescer, sim (comparando o momento do Fortaleza com a realidade do América). O mais importante é termos consciência da grandeza do clube, e de buscar crescer ainda mais. Vamos trabalhar para que a gente consiga coisas grandes em 2022. O objetivo é conquistar coisas grandes pelo América. A gente precisa ter em mente a necessidade de buscar as vitórias, objetivos pessoais a gente vai em busca ao longo do ano. Vamos trabalhar, buscar títulos e coisas maiores em campeonatos", projetou.

WP 9, que em Minas ainda vestiu a camisa do Cruzeiro (entre 2009 e 2013), evitou prometer gols mesmo sendo artilheiro em boa parte das equipes que defendeu. Ele foca no trabalho e no empenho durante os treinamentos. "Quem me conhece sabe que não sou de prometer gols, mas sabe da minha dedicação em campo. Quero deixar claro para o torcedor que vou correr e me dedicar muito, me doar dentro de campo, que é o que sempre fiz e vou fazer. E os gols vão sair naturalmente", frisou.

O veterano deu a receita para uma boa largada do América rumo à classificação para a fase de grupos da Libertadores.  "O time não pode ficar ansioso no primeiro jogo. Precisamos trabalhar muito bem essa parte emocional, essa ansiedade, para que entre no campo tranquilo. Lógico que isso é normal no futebol, essa ansiedade, mas quando a bola rolar a gente precisa pensar só no jogo. É ter tranquilidade, saber o que é preciso fazer, fazer o que foi treinado e buscar a vitória", ensinou. 

Wellington Paulista não promete gols e nem fala sobre titularidade, mas foca na dedicação ao trabalho
foto: Mourão Panda/América

Wellington Paulista não promete gols e nem fala sobre titularidade, mas foca na dedicação ao trabalho



O bom ambiente do grupo, de acordo com o centroavante, é um fator tão importante quanto o trabalho dentro de campo. "É preciso ajudar não só dentro, mas fora de campo também. Com conversas, no dia a dia, nos treinamentos, e correr muito para dar bom exemplo aos mais novos. Temos objetivos para a temporada e precisamos chegar bem para os campeonatos, para buscar esses objetivos que traçamos", recomendou.

Wellington Paulista teve o nome regularizado no BID e está à disposição do técnico Marquinhos Santos para estrear. Ele disse que a titularidade é uma decisão do comandante. "É preciso trabalhar. Falar em titularidade é sempre difícil, pois tem um treinador que escolhe, é ele que elege quem vai jogar ou não. É preciso trabalhar, dedicar, fazer o melhor para corresponder à altura quando chegar a chance de jogar. É assim que a gente vai buscar a titularidade", exemplificou. 

Sobre a carreira longeva, o centroavante considera que é consequência da seriedade com que sempre levou os trabalhos por onde passou no futebol. "Eu continuo o mesmo, dedicado, brigador dentro de campo e dar o melhor para o clube. Com qualquer idade, onde eu estiver, sempre vou buscar o melhor para vencer. Minha caracteística é a mesma. Eu me cuido muito, nos treinos e em casa, me alimento bem, não sou de fazer bagunça, de festa, então consigo ter uma longevidade no futebol", comentou.

Compartilhe