UAI

2

Salum exalta momento do América, mas admite preocupação por classificação

Coordenador de futebol do Coelho conversou com a imprensa na chegada a Assunção, antes de duelo pela Libertadores

Marcus Salum admite preocupação com desafio e pede foco na construção da vitória
foto: Lucas Bretas/Superesportes

Marcus Salum admite preocupação com desafio e pede foco na construção da vitória


Preocupação. O gol marcado por Josue Colmán para o Guaraní, aos 47min do segundo tempo no Estádio Independência, em Belo Horizonte, na última quarta-feira (23), decretando a vitória paraguaia por 1 a 0, despertou esse sentimento na torcida americana, de modo geral, e também em Marcus Salum, coordenador de futebol clube-empresa do América. O resultado na partida de ida da segunda fase da Copa Libertadores foi um verdadeiro 'balde de água fria' após uma atuação tão dominante.



Com o revés, o Coelho passou a depender de uma vitória por dois gols de diferença no jogo desta quarta-feira, às 19h15, no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, para avançar à terceira fase. Em caso de triunfo por um tento de vantagem, a decisão ocorrerá nos pênaltis.


"Fiquei muito feliz em chegar no aeroporto e ver a torcida ter essa possibilidade de estar aqui, em um jogo internacional. Mas como futebol o tempo todo é resultado, é trabalho, a gente chega aqui com muita preocupação. Lógico que é a realização de um sonho estar na Libertadores, mas hoje a gente só foca na construção da vitória. (...) Uma construção mental para que a gente possa fazer um belo jogo na quarta-feira", projetou.

Fotos do hotel que recebe o América no Paraguai



O coordenador de futebol do Coelho também ressaltou o empenho da comissão técnica para preparar a equipe para o duelo decisivo. "Eu acho que quem tem que fazer diferente, na verdade, dentro de campo, é nossa comissão técnica. E vem trabalhando duro. A gente está muito 'juntinho', acompanhando tudo, conversando, discutindo. Eu acho que agora é jogar", opinou.

Por fim, Salum foi convidado a 'olhar para trás' enquanto cedia entrevista. Logo às costas do dirigente, encontrava-se uma réplica em menor escala da taça da Copa Libertadores da América. O coordenador de futebol do Coelho sorriu e projetou: "É a primeira de muitas, se Deus quiser".

Compartilhe