UAI

2

Felipe Azevedo, do América, cita 'gosto amargo' por empate com o Atlético

Atacante do América, Felipe Azevedo voltou ao time titular e marcou golaço diante do Atlético, mas viu Coelho ceder empate ao Galo em jogada irregular

15/04/2022 10:55
compartilhe
De volta ao time titular do América, atacante Felipe Azevedo lamentou empate contra o Atlético
foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

De volta ao time titular do América, atacante Felipe Azevedo lamentou empate contra o Atlético


O atacante Felipe Azevedo, do América, falou em um "gosto amargo" após o empate em 1 a 1 com o Atlético pela Copa Libertadores, na quarta-feira (13), no Mineirão. No primeiro clássico mineiro da história do torneio continental, o Coelho sofreu o gol de empate aos 40 minutos do segundo tempo, em lance em que o atacante Ademir recebeu em posição irregular e balançou as redes de Jailson.
 
 

Em entrevista concedida nesta quinta-feira (14), Felipe Azevedo destacou a eficiência do América em cumprir a proposta do técnico Vagner Mancini no clássico. Apesar disso, lamentou a ausência do VAR (árbitro de vídeo) na Libertadores e o erro de arbitragem que culminou no gol alvinegro.

"Acho que pela circunstância sim, fica um gostinho amargo. Se você for pensar de uma outra forma, você vai achar que o empate contra o Atlético no Mineirão não é ruim, devido ao momento que eles vêm vivendo, à equipe que eles têm. Mas, pelas circunstâncias... A gente foi com a proposta de se segurar lá atrás, de tentar frear um pouco o ímpeto deles e tentar contra-atacar. Com três jogadores de mais velocidade na frente, a gente conseguiu fazer isso praticamente o jogo todo. Infelizmente, um erro de arbitragem onde todo mundo sabe que tem que ter o VAR. Na Série B do Campeonato Brasileiro tem o VAR, nos estaduais têm. A Libertadores é o maior campeonato do nosso continente e não pode não ter. A gente fica chateado pela forma que foi, mas levando o espírito positivo do jogo, do que a gente fez, do que a gente propôs e conseguiu fazer bem", disse.
 

Fotos do golaço de Felipe Azevedo, do América, no clássico

 

Azevedo também mencionou a capacidade do América de igualar jogos contra equipes consideradas superiores. Ele falou sobre o impacto da chegada de Mancini nos trabalhos do dia a dia e avaliou que o Coelho deixou uma "boa impressão" pelo desempenho contra o Atlético.

"Desde o ano passado, a gente faz isso. Contra equipes grandes, com elencos ditos maiores por críticos, a gente venceu. A gente ganhou de vários clubes ano passado no Brasileirão. A gente mostrou que tem condições de buscar essa classificação na Libertadores, de melhorar, de evoluir. Então, nós vamos levar o espírito desse jogo. (...) A gente vai aprimorar mais, relembrar muitas coisas que o Mancini fazia muitas coisas ano passado. Tem a questão do trabalho físico, que a gente vai fazer cada vez mais e nos deixa fortes dentro das competições. A gente tem muito a evoluir. Deixamos uma boa impressão para todo mundo em relação ao grupo do América", avaliou.

Por fim, o atacante de 35 anos destacou a satisfação por voltar ao time titular do América. Reserva na reta final de Marquinhos Santos, Azevedo destacou o carinho e o respeito que tem pelo ex-treinador do Coelho.

"Sentimento muito bom [de voltar a ser titular]. Estar sempre jogando é bom. Respeitava muito a decisão do Marquinhos. É um cara que eu tenho um carinho enorme. Um cara que eu vou levar sempre para a minha vida. Um cara espetacular. Quando um treinador decide algo, a gente tem que acatar. Fiquei feliz pela oportunidade de jogar. Ter feito um dos gols mais bonitos que fiz com a camisa do América. A forma que foi a jogada, um jogo tão importante, um clássico, uma Libertadores... Estou curtindo bastante esse momento que estou vivendo", finalizou.
 
 

Compartilhe