UAI

2

Atacado por Jailson, Cavichioli diz que resposta é com trabalho no América

Após críticas fortes do desafeto, que deixou o clube, goleiro prefere não rebater declarações com palavras e sim com resultados em campo

02/08/2022 23:33 / atualizado em 03/08/2022 08:55
compartilhe
Cavichioli minimiza polêmica e diz que resposta a críticas é com trabalho
foto: Mourão Panda/América

Cavichioli minimiza polêmica e diz que resposta a críticas é com trabalho


Criticado de forma dura pelo experiente Jailson, que até pediu a rescisão de contrato por causa de problemas de relacionamento, o goleiro Matheus Cavichioli evitou polemizar. Ele disse a melhor resposta é dada dentro de campo, com foco no trabalho e nos resultados pelo América. 

Cavichioli foi alvo de ataque de Jailson, que chamou o desafeto de 'mau caráter' em entrevista exclusiva ao Superesportes. O veterano de 41 anos não citou nome, mas deixou subentendido que se tratava mesmo do antigo titular, que ficou o primeiro trimestre de 2022 afastado depois de procedimento cirúrgico no coração. 

Além de criticar de forma veemente atitudes de Cavichioli até com os demais goleiros do grupo, Jailson o acusou de falta de profissionalismo. "Pelo amor de Deus, é só olhar o meu biotipo e o biótipo do cara. O cara não se cuida. Muita coisa acontece no clube aí. O cara está com 18 de percentual (de gordura), 130kg, ninguém fala nada. Só ver as coisas, mas têm medo de falar", detonou o veterano, que tinha contrato até o fim de 2022 e pediu a rescisão.

Em um programa de torcedores do América no YouTube, Terça do Coelho, nesta terça-feira, Cavichioli tomou a iniciativa de comentar as declarações de Jailson. O titular do Coelho, no entanto, preferiu não aumentar a polêmica e disse que a melhor resposta é dada dentro de campo, com trabalho e dedicação. 

"É inevitável não tocar no assunto a respeito de declarações vindo de fora. Minha respostá é trabalho, é treino, não tenho por que rebater críticas e algum tipo de acusação com palavras. Eu tenho compromisso fechado com algo muito maior que eu, que o presidente Salum, o Euler, é o América. Minha resposta fica no trabalho, no dia a dia e na felicidade que eu tenho de ajudar nos jogos", declarou. 

"Palavras uma hora não são mais válidas, são esquecidas, então a resposta a qualquer tipo de declaração que vem de fora é com treino, trabalho e resultado. Enquanto meus superiores gostarem do meu trabalho, não tenho outra forma de explicar por que fui contratado para fazer isso. Se eu desempenhar o que as pessoas acreditam em mim, palavras são desnecessárias. Qualquer resposta que tiver que dar é com atuações que levem o América ao lugar onde merece", comentou. 


Compartilhe