UAI

2

Zoado e zoador, cruzeirense é churrasqueiro de atleticanos em Cuiabá

Alimentados pelo rival: em clima amistoso e provocativo, consulado do Atlético se reuniu neste sábado em 'concentração' para a Supercopa contra o Flamengo

19/02/2022 17:50 / atualizado em 19/02/2022 18:04
compartilhe
José Ferraz, 62 anos, é o churrasqueiro oficial da GaloCuia, que nesse sábado (19) reuniu dezenas de atleticanos em
foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

José Ferraz, 62 anos, é o churrasqueiro oficial da GaloCuia, que nesse sábado (19) reuniu dezenas de atleticanos em "concentração" para a Supercopa do Brasil contra o Flamengo


Em meio aos gritos de "Galo", uma voz silencia. Vestido de rosa, José Ferraz, 62 anos, contrasta com o alvinegro que toma o ambiente do consulado do Atlético em Cuiabá. Ele, nas palavras dos que o cercam com provocações e risadas, é o único cruzeirense aceito no local, que fica nas proximidades da Orla do Porto, um dos principais pontos turísticos da capital do Mato Grosso.
 

José é o churrasqueiro oficial da GaloCuia, que nesse sábado (19) reuniu dezenas de atleticanos em "concentração" para a Supercopa do Brasil contra o Flamengo. As equipes se enfrentam no domingo, na Arena Pantanal, em busca do primeiro troféu da temporada 2022.

"Eu sou amigo do Jairo (presidente do consulado) há muitos anos. Eles não tinham churrasqueiro, porque atleticano não sabe fazer churrasco", provoca, em tom de brincadeira, o cruzeirense. "Aí me arrumou para fazer o churrasco para eles", completou, enquanto fatiava um contra filé ao ponto, acompanhado de perto dos amigos alvinegros.

As provocações, aliás, são constantes entre um pedaço e outro de carne. "É gente boa, o cara está na Segunda Divisão, lamentando, quase foi para a Terceira. Vai ficar mais dois, três anos. A ocupação dele é essa. É um grande amigo nosso, faz um churrasco muito bom", brinca um atleticano.
 

Reunião da GaloCuia, em Cuiabá, na véspera de Atlético x Flamengo pela Supercopa

 

"Ele sabe que o Galo é maior que o Cruzeiro, então a gente aceita. Quando um cruzeirense não aceita que o Galo é maior, a gente não aceita aqui dentro não. Fora que ele faz uma carne boa", sorri outro.

"A rivalidade fica dentro de campo. Fora isso, a gente tem amigos que torcem por outros times. É sempre uma honra e um prazer recebê-los aqui e compartilhar esse momento de alegria e descontração que o esporte propicia a todo mundo", diz o atleticano Alexandre Reis.

"Mas o coração dele é Galo Doido, não é possível", provoca outro. "Não vou deixar de ser cruzeirense. Gosto dos atleticanos, mas sou cruzeirense de coração", orgulha-se José, antes de salgar mais uma carne para os amigos-rivais.


Flamenguista de olho...


O cruzeirense não foi o único "espião" na festa alvinegra, que começou às 10h e se estendeu ao longo da tarde. O empresário Lindomar Menino, 60, é rubro-negro e presença frequente nas confraternizações alvinegras em Cuiabá. "É a amizade!", brada. "Flamenguista e atleticano, é assim que tem que ser, sem brigas", completa, ao cumprimentar Alexandre Reis.

Confiança


Entre os atleticanos que lotaram o espaço destinado ao churrasco, o clima é de muita confiança para domingo. "A expectativa é de vitória. Vamos levar essa taça, porque é direito nosso. Ganhamos os dois campeonatos (Brasileiro e Copa do Brasil). Tem que ser 4 a, no máximo, 1", disse Nicole Buffe, 37, administradora.

"Vocês não têm noção do que está entalado na garganta desde 1981", lembrou o gerente comercial Tiago Silvestre, 38, em referência ao polêmico jogo apitado por José Roberto Wright na Copa Libertadores daquele ano, quando cinco jogadores atleticanos foram expulsos. "Vai ser 2 a 0 para o Galão!", completou.
 
 

A festa da GaloCuia contou ainda com neto de ex-presidente alvinegro, ex-jogador de futebol, deputado e muitas, muitas crianças. Todas em uníssono pela conquista atleticana neste domingo.

Compartilhe