UAI

2

Com contratação de Alonso, Atlético volta a ter sete estrangeiros no elenco

Em competições nacionais, dois atletas ficarão fora do banco de reservas

14/03/2022 15:54
compartilhe
Alonso voltou ao Atlético poucos meses após ser vendido ao Krasnodar, da Rússia
foto: Pedro Souza/Atlético

Alonso voltou ao Atlético poucos meses após ser vendido ao Krasnodar, da Rússia

O retorno de Junior Alonso ao Atlético, emprestado pelo Krasnodar até o fim de 2022, mexe no planejamento do técnico Turco Mohamed para a sequência da temporada. O elenco alvinegro passa a ter sete jogadores estrangeiros. Assim como aconteceu no último ano, dois jogadores de fora do país não serão relacionados nas partidas da equipe em competições nacionais.

Momentos de Junior Alonso no Atlético



O regulamento das competições no país, como Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, libera a participação de apenas cinco jogadores estrangeiros por partida. Além de Alonso, o Galo conta com os argentinos Matías Zaracho e Nacho Fernández, o uruguaio Diego Godín, o chileno Eduardo Vargas, o venezuelano Jefferson Savarino e o colombiano Dylan Borrero.

No ano passado, Dylan era o jogador com menos espaço ao lado de Alan Franco, que deixou o Galo por falta de oportunidades, sendo emprestado ao Charlotte FC, dos Estados Unidos. O colombiano, que teve bom início de temporada, pode ser preterido mais uma vez em 2022.

Neste ano, o colombiano tem um gol, uma assistência e um pênalti sofrido (convertido por Guilherme Arana). Antes do início do Campeonato Mineiro, Dylan foi envolvido em especulações sobre uma possível saída para ganhar mais minutos em campo, mas o Atlético optou pela permanência do jovem. 

Dos sete estrangeiros, Alonso, Nacho, Zaracho e Vargas devem ter vaga 'fixa' na lista de relacionados. A tendência é que Godín, zagueiro contratado neste ano para a vaga de Alonso, e Savarino disputem a preferência de Turco Mohamed como quinta opção.

Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Atlético e principal responsável pelo retorno de Alonso ao clube, afirmou que é possível administrar a situação. Ele relembrou que o Galo perde muitos jogadores em convocações e que lesões e suspensões também acontecem.

"Libertadores não tem limite, campeonatos nacionais sim. Normalmente sempre temos algum jogador fora, lesionado, próprio Zaracho está há quantos jogos fora... Ou seja, tem como você administrar isso", disse.

Os melhores times do mundo: veja ranking de março da IFFHS



Compartilhe