UAI

2

Caetano, do Galo, defende Turco de críticas: 'Ele realiza um bom trabalho'

Uma parcela da torcida do Atlético está descontente com o trabalho do técnico Antonio Mohamed

Antonio Mohamed é questionado por parte da torcida do Atlético
foto: Pedro Souza/Atlético

Antonio Mohamed é questionado por parte da torcida do Atlético


Uma parcela da torcida do Atlético está descontente com o trabalho do técnico Antonio Mohamed, apesar dos títulos do Campeonato Mineiro e da Supercopa. Em termos de resultado, o Galo está na parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro, em 4º lugar, com 12 pontos, e classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores. Apesar disso, o torcedor espera melhor desempenho do time em campo. O diretor de futebol do Alvinegro, Rodrigo Caetano, defendeu o trabalho do Turco.


"O Turco vai para o sexto mês e já entendeu como é. O nosso entendimento é que ele realiza um bom trabalho. Além de ser um ótimo gestor de grupo, é uma grande figura humana. Vamos seguir na busca de estar sempre no topo, ser protagonista", disse Caetano, em participação ao Superesportes Entrevista.

"Nós vamos finalizar maio, e ontem (quarta) se tivéssemos vencido, teríamos batido quase 80% de aproveitamento neste primeiro semestre. O Toni modificou muito pouco, e isso foi um dos motivos da nossa escolha, justamente para dar sequência ao trabalho que o Cuca vinha realizando", acrescentou.

O diretor fez uma comparação da situação vivida pelo Atlético com o que ocorreu no Flamengo nos últimos anos, após o sucesso do técnico Jorge Jesus. "O Flamengo vive sob o fantasma de 2019, já estamos em 2022. O Palmeiras, no ano passado, mesmo quando nos eliminou, foi chamado de um time retranqueiro, e ganhou a Libertadores", destacou.

Rodrigo Caetano elogiou o ambiente da Cidade do Galo com Antonio Mohamed. "Espetacular. Um cara que envolveu todas as áreas. Se você for perguntar, não para mim, porque sou suspeito, por conta do cargo que ocupo, mas se for perguntar para os funcionários do clube, sejam em on ou off, eles vão passar o quanto ele é querido, se envolve, é respeitador."

O convite para substituir Cuca


Caetano ainda disse que outros técnicos preferiram não aceitar o convite de substituir Cuca no Atlético. "O Turco aceitou o desafio, outros não. Outros colocaram até impeditivos na nossa conversa, muito prevendo isso que estamos vivendo. Ele sabia que iria viver isso, eu também, só que ele optou por chegar, e eu por ficar. Mas era previsto que isso iria acontecer, porque quando você ganha, a partir dali, pouca coisa serve de diferente. Infelizmente é assim, natural".

"Qualquer técnico que viesse substituir o Cuca iria sofrer o que ele está sofrendo. Poderíamos trazer o Mourinho, que ganhou ontem (a Conference League, com a Roma), iriam dizer que faz 10 anos que o Mourinho não ganhava o título", adicionou.



Compartilhe