UAI

2

Rodrigo Caetano sobre trabalhar na Seleção Brasileira: 'Quem não sonha?'

Apesar da declaração, diretor de futebol do Atlético pregou respeito ao amigo Juninho Paulista, atual coordenador de futebol da CBF

Rodrigo Caetano, do Atlético, alimenta o sonho de trabalhar na Seleção Brasileira
foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press

Rodrigo Caetano, do Atlético, alimenta o sonho de trabalhar na Seleção Brasileira


Executivo de futebol desde 2003, o diretor Rodrigo Caetano, do Atlético, alimenta o sonho de trabalhar para a Seleção Brasileira. "Representar o teu país em uma Copa do Mundo, quem não sonha?", afirmou.
 
 

Nesta quinta-feira (26), Rodrigo Caetano foi o convidado do podcast Superesportes Entrevista. O diretor de futebol abordou diversos temas relacionados ao trabalho no Atlético e à carreira como dirigente.

Entre os assuntos tratados, Caetano foi questionado sobre a Seleção Brasileira. Trabalhar defendendo o Brasil é um projeto da carreira do executivo?

"Pergunta difícil. Na época que trabalhei no Rio, algumas vezes meu nome foi ventilado. Primeiro, deixar claro que o Brasil está em um ciclo de Copa do Mundo, em novembro, mas espero que vá até a final, e que poxa, o diretor de seleções lá é um amigo que eu tenho, o Juninho (Paulista). Não me sinto confortável em falar em relação a isso", disse.

 

"Como profissional, não sei se CBF, não sei te responder em relação a isso. Mas é óbvio que se perguntar para qualquer profissional se ele tem o desejo de ir para uma Copa do Mundo... Como fui um atleta bem mediano, não consegui ter esse sonho. Mas representar o teu país em uma Copa do Mundo, quem não sonha?", completou.
 

Possíveis adversários do Atlético nas oitavas da Libertadores

 

Convite da Seleção Brasileira balançaria?


Rodrigo Caetano avalia que não teria como "não pensar a respeito" caso fosse convidado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ainda assim, o dirigente prega que é melhor "deixar as coisas acontecerem naturalmente".

"Mas não me sinto confortável para falar em relação a isso. Se um dia isso acontecer, de um determinado convite... Eu estando trabalhando no clube, claro que não tenho como não pensar a respeito. Mas nunca tive. Meu nome já foi ventilado algumas vezes. Não dá nem para pensar em futuro, se tratando em ano de Copa do Mundo. É melhor deixar as coisas acontecerem naturalmente e torcer muito para que o Brasil vença", afirmou.
 
 

O diretor de futebol do Atlético garante que nunca houve nenhuma mensagem ou convite da CBF. "Não chegou. Eu tenho uma boa relação com o atual presidente da CBF, o qual já conhecia antes de ele assumir o cargo, o Ednaldo (Rodrigues). Mas tenho que respeitar principalmente quem está lá, e todos nós torcemos para que o Brasil conquiste esse título no Catar", encerrou.

Rodrigo Caetano tem contrato com o Atlético, onde foi multicampeão, até o fim de 2023. O executivo é o principal nome da 777 Partners, que investirá na SAF do Vasco, para o comando do futebol cruzmaltino.

Compartilhe