UAI

2

Em vitória no Rio, torcida do Flamengo mira Atlético: 'Vamos virar, Mengo'

Na goleada do Flamengo sobre o Tolima-COL, por 7 a 1, no Maracanã, pela Copa Libertadores, a torcida rubro-negra se lembrou do Galo

07/07/2022 08:37 / atualizado em 07/07/2022 10:56
compartilhe
Gabigol empolgado com a cantoria da torcida do Flamengo no Maracanã
foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Gabigol empolgado com a cantoria da torcida do Flamengo no Maracanã

Na goleada do Flamengo sobre o Tolima-COL, por 7 a 1, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, a torcida rubro-negra se lembrou do Atlético, adversário na Copa do Brasil. "Vamos virar, Mengo", cantaram os flamenguistas.



A torcida do Fla ecoou as palavras de Gabigol sobre o jogo contra o Galo, no dia 13 de julho (quarta-feira), às 21h30, no Maracanã. "Acabou o amor, isso aqui vai virar um inferno". Enquanto os flamenguistas cantavam, Gabigol regia a música balançando a camisa.

No jogo de ida, no dia 22 de junho, no Mineirão, o Atlético venceu o Flamengo por 2 a 1. Hulk fez um golaço no primeiro tempo e fez jogada espetacular com assistência para Ademir ampliar o placar na etapa final. Lázaro marcou para o Rubro-Negro. O Galo pode até empatar o jogo de volta que se classificará às quartas de final. 

Após a partida, o atacante Gabigol soltou uma frase que muitos interpretaram como incitação à violência. Ele disse que os mineiros vão sofrer com a pressão no Maracanã no duelo da volta. No Mineirão, a torcida alvinegra esgotou os ingressos para a partida.

"Quando eles forem lá (no Maracanã) vão conhecer o que é pressão e inferno", declarou. Depois, ele pediu desculpas e disse que não teve a intenção de deixar os ânimos mais exaltados.

Atlético x Flamengo: fotos da torcida do Galo no Mineirão



No dia 29 de junho, o Atlético enviou uma carta ao Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro solicitando reforço de segurança para o jogo contra o Flamengo, pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, no dia 13 de julho (quarta-feira), às 21h30, no Maracanã.

O Galo anexou ameaças nas redes sociais para embasar o pedido, que foi feito também ao Ministério Público-RJ, à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ao Flamengo. 



Compartilhe