Cruzeiro

CRUZEIRO

'Se Luxemburgo viesse antes, Cruzeiro até que subia', diz ex-diretor Deivid

Ex-dirigente concedeu primeira entrevista desde a saída da Raposa

postado em 12/09/2021 16:29 / atualizado em 12/09/2021 16:43

(Foto: Reprodução/Youtube/Charla Podcast)
Em sua primeira entrevista desde a saída do Cruzeiro, em meados de junho, o ex-diretor-técnico do clube, Deivid, indicou que não acredita no acesso da Raposa à Série A do Campeonato Brasileiro nesta temporada. 

Ao 'Charla Podcast', Deivid avaliou que o principal objetivo dos mineiros poderia ser alcançado caso Vanderlei Luxemburgo tivesse chegado à Toca da Raposa II meses antes. O técnico foi anunciado em 3 de agosto e não perdeu desde que assumiu o cargo - são quatro vitórias e quatro empates até aqui. 

"Se o Vanderlei (Luxemburgo) viesse antes, até que subia. Vanderlei é um cara experiente, ele conhece futebol. O Cruzeiro vai subir (algum dia). Agora, a dívida, vai demorar uns 10 anos aí. É muito alta. Não é 900 e pouco, é R$ 1 bi. Coloca aí 10, 12 anos", disse o ex-dirigente, demitido em 15 de junho.

Vale lembrar que Deivid, como diretor-técnico do Cruzeiro, participou das contratações dos antecessores de Luxemburgo. No período em que o ex-jogador trabalhou na Raposa, foram anunciados Ney Franco, Luiz Felipe Scolari, Felipe Conceição e Mozart.  

Em entrevista ao 'Charla', Deivid também comentou o volume de dívidas do Cruzeiro. Ele elogiou o presidente Sérgio Rodrigues e disse que é impossível atender aos anseios do torcedor celeste nas atuais condições financeiras do clube.

"Ali (no Cruzeiro) só se virar clube-empresa. A dívida é muito grande. O Sérgio (Rodrigues, presidente) é muito corajoso, o presidente tem colhão para pegar uma situação dessa. E aí o torcedor não entende. O torcedor quer montar time, com o time devendo. Primeiro, tem que pagar a conta. Toda hora chega uma conta da Fifa, toda hora chega punição. Aí você tem que pagar salário em dia, fazer time e pagar a Fifa. É impossível", opinou.


Demissão

O trabalho de Deivid nunca foi unanimidade no Cruzeiro, apesar da confiança absoluta depositada pelo presidente Sérgio Rodrigues. O ex-diretor-técnico, que também ocupou o cargo de diretor de futebol em 2020, foi demitido em 15 de junho após vazamento de uma conversa com o empresário André Cury.

No áudio, o ex-dirigente pediu ajuda a Cury na contratação de jogadores e atribuiu a culpa da briga entre Cruzeiro e o agente ao presidente Sérgio Santos Rodrigues.

"Me ajuda. Estou respirando por aparelhos, po**. O Sérgio faz coisas contigo e você está chateado comigo? Eu que estou tomando a culpa? Está foda. Tu me largou mesmo... Eu estou pior do que COVID, irmão. Respirando por aparelhos", disse.

André Cury, por sua vez, enviou mensagem de texto a Deivid na manhã seguinte. "Amigo, acho que vocês vivem em outro mundo!!! Fazem sacanagem com as pessoas e ainda querem pedir ajuda?".

O dirigente rebateu. "Eu não faço sacanagem, fui a seu favor. Ainda falaram que eu (estou) devendo (defendendo, na verdade) você porque sou seu amigo. Sou pelo certo. Você não está errado. Pergunta ao Rodrigo Pastana o que falei de você", disse.

Em nota divulgada na data da demissão, o Cruzeiro ignorou o vazamento do áudio e afirmou que a decisão foi tomada em comum acordo. O clube ainda agradeceu a Deivid pelos serviços prestados e desejo sucesso no andamento da carreira. 

Como jogador, Deivid brilhou pelo Cruzeiro. Em 2003, ele marcou 28 gols em 37 partidas e conquistou três títulos: Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. No meio daquela temporada, o camisa 9 se transferiu para o Bordeaux, da França.

Tags: serieb interiormg futnacional mercadobola