Moreno desabafa após gol anulado do Cruzeiro: 'Assim é impossível ganhar'

Atacante disparou contra arbitragem no empate por 1 a 1 com o Operário

16/09/2021 21:31 / atualizado em 18/09/2021 07:58
compartilhe
Jogadores do Cruzeiro ficaram revoltados com árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira
foto: Ramon Lisboa/EM D.A Press

Jogadores do Cruzeiro ficaram revoltados com árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira


O atacante Marcelo Moreno desabafou após ter o gol anulado no fim da partida entre Cruzeiro e Operário, nesta quinta-feira, em Sete Lagoas, pela 24ª rodada da Série B. Em entrevista ao SporTV, o boliviano não poupou críticas ao árbitro catarinense Rodrigo Dalonso Ferreira, que demorou mais de 10 minutos para tomar a decisão em meio a uma análise inconclusiva da sala do VAR. As equipes empataram por 1 a 1.



Fotos da confusão: expulsão, dedo na cara, chega pra lá e escolta



“Uma alegria que dura pouco. Dentro da nossa casa não podemos sofrer isso. Mandar qualquer juiz desse para apitar um jogo, com o Cruzeiro querendo subir… estamos nos doando pra caramba, e ele faz uma coisa dessas? Isso não existe! A CBF tem que olhar, não existe isso aí”.

O gol que garantiria a vitória ao Cruzeiro foi marcado por Moreno aos 52 minutos do segundo tempo. Responsável pela assistência, Marco Antônio teria tocado com o braço direito na bola, conforme interpretação de Rodrigo Dalonso em consulta ao monitor de vídeo instalado na beira do gramado.

Dalonso chegou a validar o gol, porém recebeu o aviso de uma possível irregularidade. Enquanto Marcelo Moreno abraçava o técnico Vanderlei Luxemburgo e a torcida do Cruzeiro comemorava nas cadeiras da Arena do Jacaré, os jogadores do Operário pressionaram o árbitro e seus auxiliares.

Indignado, Marcelo Moreno citou o episódio em que Diego Tardelli, jogador do Santos, foi ameaçado por torcedores em razão da eliminação da equipe para o Athletico-PR nas quartas de final da Copa do Brasil. Para o camisa 9, se isso ocorrer no Cruzeiro, Rodrigo Dalonso tem sua parcela de responsabilidade.


“A gente quer subir, quer ganhar, depois saímos na rua e somos cobrados. Aconteceu agora com o Tardelli em São Paulo. Depois a gente não pode sair na rua porque ficamos em risco por causa dele. Olha aí, ele está saindo escoltado por que? A gente é bandido?”.

Moreno também se queixou do pênalti a favor do Operário, convertido por Paulo Sérgio aos 38 minutos da etapa inicial. Na jogada, Rodrigo Dalonso Ferreira entendeu que o zagueiro Eduardo Brock acertou Djalma Silva com um pontapé. O centroavante cruzeirense cobrou críticas ao árbitro por parte da imprensa.

“A gente quer ganhar o jogo no futebol. Fizemos um grande jogo, mas assim é impossível ganhar. Deu um pênalti contra e anulou um gol que ia ajudar a gente na classificação. Como fazemos agora? A imprensa tem que ver o lance e ajudar a gente. Não é assim que vai acontecer as coisas para que a gente suba”.

Com o empate na Arena do Jacaré, o Cruzeiro chegou a 30 pontos e se manteve distante do G4 da Série B, que tem o CRB na quarta posição, com 41 pontos. O próximo adversário da Raposa é o Vasco, às 16h de domingo, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, pela 25ª rodada.

Cruzeiro 1 x 1 Operário: torcida celeste vai da euforia à decepção



Compartilhe