Pedro Lourenço dispara contra presidente do Cruzeiro: 'Incompetência total'

Sérgio Rodrigues foi alvo de duras críticas do principal investidor do clube

02/10/2021 16:32 / atualizado em 02/10/2021 19:43
compartilhe
Pedro Lourenço (dir.) disparou contra o presidente Sérgio Rodrigues (esq.)
foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Pedro Lourenço (dir.) disparou contra o presidente Sérgio Rodrigues (esq.)

Principal investidor do Cruzeiro, Pedro Lourenço, do Supermercados BH, disparou contra o presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues . Em entrevista à Rádio Itatiaia, neste sábado, o empresário lamentou a "incompetência total da gestão do Cruzeiro" e disse que não é ouvido pelo atual mandatário.

"É muito triste ter que falar do Cruzeiro. Tem muita coisa que tem que mudar no Cruzeiro. Não adianta ficar enrolando, enrolando e enrolando. Tem que mudar. Tem que tomar providência agora, imediata, porque não sobe mais (em 2021). O milagre nesses tempos de hoje não existe", disse.

Leia também: Investidor do Cruzeiro pede saída de Pastana e terá reunião com Luxemburgo

"Terceiro ano na Série B, incompetência total da gestão do Cruzeiro, que o Sérgio está aqui, é nosso presidente hoje, mas não ouve a gente. Eu acho que, se não tomar providência, vai ficar o resto da vida na Segundona", completou Pedro Lourenço em forte entrevista concedida ao repórter Thiago Reis.

Pedrinho , como é conhecido o supermercadista, também lembrou os salários atrasados no Cruzeiro. Em agosto, quando o técnico Vanderlei Luxemburgo foi contratado, o empresário fez um aporte de cerca de R$ 8 milhões para quitar vencimentos em aberto com jogadores e funcionários. 

"Tem que começar (a mudança na) segunda-feira. Mudar, estruturar, limpar um monte de coisa que está errada no Cruzeiro. Um tanto de gente à toa, que está lá e não produz nada. Recebe, não recebe. Tenho empresa: dia 5 é dia 5 (dia de pagamento de salário). Três meses de jogador (com salário) atrasado, três meses de segurança (com salário atrasado), cozinheiro, isso não se faz com ser humano. Está errado. Tem que mudar", pediu.

"Quando conversamos com o Vanderlei, ele exigiu que os salários estivessem em dia. Quando falo salário, não é só do jogador. Eles não jogam sozinhos, não estão lá sozinhos. Tem o cara que ganha R$2 mil, R$ 3 mil. Tem que ser pago. Chegou para mim a conta que era X. Então eu comprei o patrocínio de 2023 - cerca de R$ 8,1 milhões. Era para acertar até o dia (da chegada) do Vanderlei. Depois disso, não se pagou nenhum jogador. O presidente não pagou. A proposta era eu fazer esse aporte e ele continuaria pagando em dia. E isso não foi feito. Então, o Vanderlei tem razão de falar", afirmou.

O Superesportes questionou a assessoria de imprensa do Cruzeiro sobre a dura manifestação de Pedro Lourenço, mas o clube preferiu não se posicionar. 

Compartilhe