Régis avalia valor de mercado do Cruzeiro e diz por que negócio é atrativo

Por meio da XP Investimentos, clube procura interessados em 49% das ações da SAF

29/10/2021 10:06 / atualizado em 29/10/2021 14:39
compartilhe
Régis e Sérgio se reuniram com executivos da XP Investimentos em São Paulo, em julho deste ano
foto: REPRODUÇÃO

Régis e Sérgio se reuniram com executivos da XP Investimentos em São Paulo, em julho deste ano


O empresário Régis Campos, proprietário da Emccamp e que tem auxiliado o  Cruzeiro  na transformação em clube-empresa, disse que o valor de mercado de 49% das ações do clube está avaliado entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões . Segundo Régis, a venda é um negócio atrativo para investidores de fora do país e a única saída para a salvação da Raposa, que hoje está praticamente falida. 

"Tem muito fundo internacional que investe pesado no futebol. Você olha o futebol no mundo, quanto ganha hoje o dono do PSG? Tem interesse, é um fundo do mundo árabe, eles têm interesse, quando eles pagam para o Messi? Você com 50 milhões de euros fica dono de 49% do Cruzeiro. Isso não é a metade do que paga para um dos jogadores do PSG, Neymar, Messi, Mbappé. Não é muito dinheiro lá para eles, mas para o Brasil é. Eles (a XP investimentos) estão recebendo, conversando, deu a largada agora, porque não poderia dar a largada, já que não estava constituída a SAF", disse o Régis, em entrevista à Rádio 98FM .

De acordo com o empresário, a permanência na Série B é fundamental para o projeto clube-empresa prosperar. O Cruzeiro ainda corre risco de ser rebaixado.

"Permanecer na Série B é fundamental. Se a gente permanecer na Série B, temos aí uma avaliação para vender 49% do 'Cruzeiro novo' por R$ 300 milhões, R$ 350 milhões ( nota da redação: em outros trechos da entrevista ele chega a falar em R$ 400 milhões ). Então, este dinheiro é para sustentar o futebol, para a gente ir para a Série A e ter receita de várias fontes. O projeto é em 2022 ir para a Série A e já ter novas receitas", afirmou.

Hoje, um euro equivale a R$ 6,55. Logo, se 49% das ações do Cruzeiro estão avaliadas entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões, investidores precisariam aportar entre 45,8 milhões de euros e 61 milhões de euros. A título de comparação, o  Newcastle, da Inglaterra, foi vendido por 300 milhões de euros  (R$ 2,2 bilhões). 

Em entrevista ao colunista Jaeci Carvalho, a XP, que trabalha em parceria com o Cruzeiro para prospectar investidores, informou que já há 15 interessados nas ações do clube. Régis disse que esta é a única opção para o Cruzeiro continuar existindo.

"O Cruzeiro tem duas opções: ou quebra e fecha ou cria a SAF, que é uma lei maravilhosa para salvar o futebol brasileiro. O mundo inteiro está dentro dela. A empresa 'Cruzeiro antigo' está quebrada, não tem como pagar, não tem receita, não tem nada. O 'Cruzeiro velho' tinha que pedir falência, não tem como pagar. Se não é o Pedrinho, não tinha ninguém recebendo. Mas acabou, ele já colocou um dinheirão no Cruzeiro, eu já coloquei e vou ficar dentro da massa falida para receber um dia, eu fui ajudar para não ir para a Série C lá atrás", disse Régis.

2022


Com a entrada de investidores, Régis vê de forma positiva a próxima temporada. Apesar disso, o planejamento para o ano que vem está sendo feito com uma previsão baixa de arrecadação. Isso mudaria com a chegada de empresários com dinheiro.

"O orçamento do ano que vem é de R$ 70 milhões , R$ 80 milhões , ainda está sendo feito, mas não vai passar disso aí, com jogadores de Série A, e vários jogadores do elenco atual não vão compor, porque não vai ter problema se você arrecadar R$ 300 milhões . Mas quem vai ter que pagar o transfer ban é o 'Cruzeiro velho', mas ajustes podem ser feitos, o Cruzeiro pode antecipar parte da arrecadação de 20% que o Cruzeiro tem direito, não é problema R$ 13 milhões para pagar na Fifa". 

Compartilhe