Figueirense

NÁUTICO

Em nota, atacante Odilávio explica "sumiço" e faz acusações contra a diretoria do Náutico

Jogador tenta se desvincular do clube na Justiça para seguir no Figueirense

postado em 09/01/2020 17:50

(Foto: Andrey de Oliveira/ FFC)
A novela envolvendo o atacante Odilávio e o Náutico ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira, quando o atleta e seus representantes se posicionaram sobre o caso através de nota. O jogador busca se desvincular do Timbu para seguir no Figueirense em 2020, clube para o qual foi emprestado no segundo semestre do ano passado.

Segundo Odilávio e seu staff, o jogador recebeu uma proposta de extensão contratual por parte do Náutico para que seu empréstimo ao Figueirense fosse renovado. Porém, para isso, o jogador acusa a diretoria alvirrubra de exigir uma cláusula para que o jovem atacante abrisse mão de valores que o time pernambucano lhe deve, sendo estes referentes a salários atrasados de 2015 e esticasse o contrato até o final de 2021 sem aumento salarial. 

“ A proposta era inviável. Porém, apesar disso, eu e meus representantes tentamos diversas contrapropostas, onde abriríamos mão de mais porcentagem dos direitos econômicos para o Náutico e ainda abriria mão de 50% dos salários atrasados, que é um direito constitucional do trabalhador” relatou o jogador.

A nota ainda conta com a transcrição de um áudio que foi atribuído ao Executivo de futebol do Timbu, Ítalo Rodrigues, no qual, o dirigente reconheceria uma dívida avaliada em R$ 25 mil com o atleta. Procurado pela reportagem do Superesportes, Ítalo alegou que este assunto está entregue ao Departamento Jurídico Alvirrubro. 

A reportagem também tentou entrar em contato com o vice-jurídico timbu, Bruno Becker, mas o mesmo não atendeu às ligações.

Odilávio acusou ainda a direção do Náutico de bloquear contato com eles e seus representantes. “Assim, não restou outro caminho que não fosse ir ao Judiciário, juntando provas de atrasos salariais e FGTS (extrato retirado dia 3 de dezembro de 2019) que me permitiu exercer o direito ao trabalho. Além disso, o contrato (do jogador com o Náutico) expirou no dia 31 de dezembro de 2019 e, por força de liminar, o pré-contrato (para extensão contratual com o Náutico) tornou-se inaplicável”, completou.

Revelado pelo Náutico, Odilávio disputou 19 partidas pela equipe profissional do Timbu no ano passado, marcando quatro gols. Após se lesionar, acabou perdendo espaço e cedido ao Figueirense, pelo qual entrou em campo seis vezes e marcou um gol.