UAI

2

Rafael Nadal fala sobre polêmica de Djokovic no Aberto da Austrália

Djokovic desembarcou em solo australiano, mas teve o visto cancelado no ingresso ao país, pois não se vacinou

06/01/2022 14:02
compartilhe
Nadal falou sobre a polêmica envolvendo Djokovic
foto: Mike FREY / AFP

Nadal falou sobre a polêmica envolvendo Djokovic


O tenista Rafael Nadal se pronunciou, nesta quinta-feira, sobre a polêmica envolvendo Novak Djokovic e o Aberto da Austrália.

"Se quisesse, [Djokovic] estaria jogando sem problemas na Austrália. Ele tomou suas próprias decisões e todo mundo é livre para tomar as próprias decisões, mas existem, então, consequências. Ele sabia das condições há meses. O mundo sofreu o suficiente, há que vacinar-se", disse o espanhol.

"Ele é uma pessoa maior de idade que toma suas próprias decisões e que tem que pagar as consequências. Do meu ponto de vista, a única coisa que posso falar é que acredito no que dizem as pessoas que conhecem a medicina. Se dizem que temos que nos vacinar, temos que nos vacinar", completou.

Djokovic desembarcou em solo australiano, mas teve o visto cancelado no ingresso ao país, pois não "forneceu as provas adequadas para cumprir os requisitos de entrada". Toda a polêmica está relacionada à vacinação contra a covid-19.

O tenista, que é contra a imunização obrigatória, não apresentou evidências de que possui a vacinação completa para pisar em solo australiano. No momento, ele está retido em um centro de imigração, enquanto a Austrália aceitou adiar até segunda-feira a decisão relacionada à sua possível expulsão do país.

A polêmica também culminou em discussões fora das quadras e em um incidente diplomático. As autoridades sérvias, que fazem o possível para que Djokovic dispute o torneio, se chocaram com o governo da Austrália.

O presidente da Sérvia, Aleksandar Vunic, acusou o país da Oceania de "maus tratos" ao tenista e considerou a existência de uma "perseguição política".

"O que não é jogo limpo é a perseguição política [contra Djokovic], da qual participam todos, incluindo o primeiro-ministro da Austrália, fingindo que as regras são válidas para todos. Acho que esse tipo de fúria política sobre Novak vai continuar para que eles possam provar algo. Quando você não pode vencer alguém, então você se dedica a esse tipo de coisa", comentou Vunic.

Caso seja deportado, Novak Djokovic não poderá disputar o Aberto da Austrália a partir do dia 17 de janeiro. Ele busca o 10º título para bater o recorde de 20 Grand Slams - número de conquistas compartilhado com Roger Federer e o próprio Rafael Nadal.

Compartilhe