Clássico 500

CLÁSSICO 500

Maiores goleadas do clássico alimentam rivalidade entre torcedores, jogadores e diretorias de Atlético e Cruzeiro

Placares mais dilatados de Atlético x Cruzeiro viraram provocações

postado em 02/07/2017 06:01 / atualizado em 01/07/2017 18:00

Arquivo Estado de Minas

Não faltam goleadas na história dos clássicos mineiros. A última partida marcante com placar dilatado ocorreu em 2011. Pressionado pelo risco do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro superou o momento difícil e venceu o Atlético por 6 a 1, em partida realizada na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Já o maior resultado entre os rivais ocorreu em 1927. No dia 27 de novembro, em jogo do Campeonato da Cidade, equivalente ao Campeonato Mineiro, o Galo não tomou conhecimento do então Palestra Itália e venceu por 9 a 2. O curioso é que esses dois jogos viraram motivo de provocação entre torcedores, jogadores e até diretorias.

Jorge Gontijo/EM/D.A Press e Renato Weil/EM/D.A Press

A partida de 2011 foi também a maior goleada do Cruzeiro sobre o rival. Correndo risco de rebaixamento, o clube celeste fez uma partida inesquecível e venceu por 6 a 1. A goleaada cruzeirense foi construída com gols de seis jogadores distintos. O meia Roger abriu o placar e fez assistência para Leandro Guerreiro marcar 2 a 0. Ainda no primeiro tempo, Anselmo Ramon e Fabrício ampliaram a vantagem. Na etapa final, Wellington Paulista e Ortigoza também balançaram as redes. Réver descontou para o Atlético.

A goleada virou motivo de brincadeiras. Os cruzeirenses passaram a sinalizar o seis com as mãos em fotos. Até jogadores entraram nas provocações. Os casos mais marcantes são do volante Leandro Guerreiro e do meia Roger. Guerreiro provocou os alvinegros em duas oportunidades - e em ambas ele já não estava mais no Cruzeiro. Vestindo a camisa do América, o volante exibiu o '6 a 1' em campo em jogos no Independência contra o Galo em 2014 e 2016. Outro que também não perdeu a oportunidade de cutucar o maior rival foi o meia Roger. Em clássico na Arena do Jacaré em 2012, o armador e hoje apresentador de TV foi hostilizado pela torcida do Galo e respondeu colocando os dedos sobre a cabeça, mostrando o numeral seis. A diretoria do Cruzeiro também entrou no jogo: em uma clara provação, Roger foi escolhido como sócio 61 mil do clube, em 2014.

Rodrigo Clemente/EM/D.A Press e Douglas Patrício/Portal 5 Estrelas

Em novembro, a maior goleada dos clássicos completa 90 anos. O Galo precisava da vitória sobre o então Palestra Itália para conquistar o Campeonato da Cidade de 1927. O time alvinegro surpreendeu e venceu por 9 a 2. Segundo o Almanaque do Cruzeiro, de Henrique Ribeiro, o Palestra Itália jogou de forma displicente. Ainda segundo a publicação, o jogador Ninão, do Cruzeiro, afirmou, anos após a goleada, que os jogadores do clube celeste queriam evitar um novo título do América, por isso não se empenharam na partida.

O destaque alvinegro era o ataque, conhecido como “Trio Maldito”, composto por Jairo, Mário de Castro e Said. A denominação do ataque já evidenciava o "poder de destruição" dos jogadores. Eles formaram um dos mais eficientes setores ofensivos do período amador do futebol brasileiro e, nesse jogo, fizeram oito dos nove gols: três de Said, dois de Mário de Castro e três de Jairo. Getúlio fez o outro. Ninão marcou os dois gols do Palestra Itália.

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Décadas depois, o resultado ainda gera provocações aos cruzeirenses nas redes sociais. As gozações de torcedores também contagiaram jogadores e diretoria. Em 2014, Diego Tardelli e Marcos Rocha, dois dos atletas mais identificados com o Atlético nos últimos anos, comemoraram um gol no clássico exibindo os números das respectivas camisas, 9 e 2. Na arquibancada, os atleticanos foram à loucura. Em maio deste ano, o lateral alvinegro voltou a provocar: fez um nove com os dedos na foto do pôster do título. Nem a diretoria do Galo deixou barato. Na comemoração do título Estadual deste ano, o clube alvinegro postou uma imagem nas redes sociais com a taça e o meia Marlone de costas, usando a camisa 92. Quando atuava pelo Cruzeiro, em 2014, Marlone foi fotografado por torcedores fazendo o sinal de 6 a 1.

MAIORES GOLEADAS:

Atlético


27/11/1927 - Atlético 9 x 2 Palestra Itália - Estádio do América - Campeonato da Cidade

21/06/1936 - Atlético 6 x 1 Palestra Itália - Barro Preto (Belo Horizonte) - Amistoso

27/05/1942 - Atlético 6 x 1 Cruzeiro - Lourdes (Belo Horizonte) - Amistoso

07/12/1947 - Atlético 6 x 2 Cruzeiro - Lourdes (Belo Horizonte) - Amistoso

21/06/1953 - Atlético 5 x 0 Cruzeiro - Lourdes (Belo Horizonte) - Campeonato da Cidade

Cruzeiro

04/12/2011 - Cruzeiro 6 x 1 Atlético - Arena do Jacaré (Sete Lagoas) - Campeonato Brasileiro

27/04/2008 - Atlético 0 x 5 Cruzeiro - Mineirão (Belo Horizonte) - Campeonato Mineiro

26/04/2009 - Cruzeiro 5 x 0 Atlético - Mineirão (Belo Horizonte) - Campeonato Mineiro

04/04/1999 - Atlético 1 x 5 Cruzeiro - Mineirão (Belo Horizonte) - Copa dos Campeões Mineiros

17/11/1929 - Palestra Itália 5 x 2 Atlético - Barro Preto (Belo Horizonte) - Campeonato da Cidade

Tags: interiormg atleticomg cruzeiroec classico500 goleadas