Resumão da madrugada: bronze de Mayra e COVID-19 tira favorito em Tóquio

A terceira medalha de bronze da judoca Mayra Aguiar em Olimpíada e a baixa de um grande nome do salto com vara, por causa do coronavírus, são os destaques

29/07/2021 07:24 / atualizado em 29/07/2021 08:47
compartilhe

Mayra Aguiar é a primeira atleta do Brasil a conquistar três medalhas olímpicas em esporte individual
foto: Franck FIFE / AFP

Mayra Aguiar é a primeira atleta do Brasil a conquistar três medalhas olímpicas em esporte individual

 

 

A quinta-feira olímpica começou marcada pela redenção de Mayra Aguiar nos Jogos de Tóquio – principal nome do judô brasileiro, ela teve de superar a decepção de ter ficado fora da briga pelo ouro para buscar mais uma medalha olímpica de seu currículo, o terceiro bronze.


Além disso, chegou a 200 o número de infectados por COVID-19 durante a Olimpíada, segundo os registros oficiais dos organizadores, e o nome mais conhecido dessa lista é um dos favoritos a medalha em Tóquio, no salto com vara.

 

Confira o que mais já foi notícia no Japão.

Fotos: todas as medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio


Mais um bronze para Mayra


A judoca Mayra Aguiar fez história nesta quinta-feira (29) ao conquistar em Tóquio a terceira medalha em três edições seguidas dos Jogos Olímpicos.

Mayra Aguiar conquista bronze no judô



Bronze em Londres'2012 e Rio'2016, a gaúcha, de 29 anos, repetiu o feito agora no Japão na categoria até 78 kg e se tornou a primeira atleta do país a faturar três medalhas em esportes individuais na Olimpíada.

Na luta que lhe garantiu o seu lugar no pódio, Mayra Aguiar bateu a sul-coreana Hyunji Yoon com um ippon. Foi o segundo bronze do judô brasileiro nos Jogos de Tóquio. Antes, Daniel Cargnin subiu ao pódio na categoria até 66 kg.


Pito do COB


Após polêmica envolvendo a goleira Bárbara, da Seleção Brasileira Feminina de Futebol, nas redes sociais – ela trocou ofensas com a paratleta da canoagem Andrea Pontes –, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) veio a público na madrugada desta quinta-feira, pelo horário brasileiro, para "recomendar" aos atletas que se concentrem em suas performances e evitem as mídias sociais durante os Jogos Olímpicos de Tóquio.

"O COB recomenda fortemente que, durante seu período competitivo em Tóquio, atletas e oficiais concentrem-se prioritariamente em sua performance e no contato com seus amigos e familiares através de canais diretos, evitando distrações que podem tirá-los do foco principal."

Favorito no salto com vara pega COVID-19

A COVID-19 tirou do páreo um dos favoritos a medalha no salto com vara: o bicampeão mundial e medalhista de bronze nos Jogos do Rio em 2016, Sam Kendricks.

Com isso, o brasileiro Thiago Braz, que foi ouro nesta prova na Rio'2016, vê sua cotação ao pódio aumentar.


O norte-americano testou positivo para o novo coronavírus, ampliou para 20 o número de atletas impossibilitados de competir por causa da doença.

Outras 21 em pessoas envolvidas com outras atividades ligadas aos Jogos também se contaminaram, segundo os organizadores. Chega a 200 o total de registros oficiais.


Primeira derrota no handebol


A Seleção Brasileira Feminina de Handebol até fez um bom jogo, mas caiu diante da Espanha, com derrota por 27 a 23, muitos graças à atuação espetacular da experiente goleira Navarro, grande destaque da partida no fim da noite desta quarta-feira no Yoyogi National Stadium com defesas impressionantes.

Apesar do resultado negativo, o time brasileiro soma três pontos no Grupo B e segue na zona de classificação para as quartas de final – havia empatado com as russas e vencido a Hungria.

O próximo adversário será a Suécia sábado, às 4h15 (de Brasília). Depois, a Seleção Brasileira encerra a primeira fase contra a França. Os quatro melhores colocados de cada chave avançam ao mata-mata.

'Mineiro' nas semis do BMX


Renato Rezende, nascido no Rio de Janeiro e radicado em Poços de Caldas, no Sul de Minas, avançou para as semifinais do Ciclismo BMX Corrida.

Nesta quarta-feira, o brasileiro terminou a prova na terceira colocação e assegurou presença entre os quatro melhores de uma das baterias. A semifinal será nesta quinta-feira, às 22h (de Brasília).

Aos 30 anos, o brasileiro disputa a terceira Olimpíada na carreira. Ele também esteve em Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016. Em ambas, deixou a competição nas quartas de final.
Compartilhe