UAI

2

Mancini atualiza situações de Aloísio e Wellington Paulista no América

Aloísio 'Boi Bandido' está há oito meses sem atuar e segue treinando no América; Wellington Paulista se recupera de lesão muscular na panturrilha

17/04/2022 17:45
compartilhe
De volta ao América, técnico Vagner Mancini esclareceu situações dos atacantes Aloísio e Wellington Paulista
foto: Montagem com imagens de Mourão Panda/América

De volta ao América, técnico Vagner Mancini esclareceu situações dos atacantes Aloísio e Wellington Paulista


Após a goleada por 4 a 1 sobre o Juventude, neste sábado (16), o técnico Vagner Mancini, do América, atualizou as situações dos centroavantes Aloísio "Boi Bandido" e Wellington Paulista. O primeiro passa por uma readaptação física ao ritmo de treinos no Brasil, após longo tempo sem atuar, enquanto o segundo se recupera de uma lesão muscular na panturrilha direita.
 
 

Mancini estima que os atletas precisem de, pelo menos, mais dez dias para terem condições de jogo. É possível, inclusive, que Aloísio necessite de mais tempo. O atacante de 33 anos, que passou nove temporadas no futebol chinês, não atua desde agosto de 2021, quando defendeu o Guangzhou Evergrande na goleada por 5 a 0 sobre o Qingdao Huanghai, pelo Campeonato Chinês.

"Eu acho que tanto um quanto o outro vão ser necessários aí de uma semana a dez dias. No mínimo. O Aloísio, talvez, até um pouquinho mais. E eu não consigo te precisar isso, porque diariamente a gente conversa. O Wellington já foi meu atleta em outros clubes também. E eles estão tentando de uma maneira muito pronta e muito significativa, voltar o quanto antes. O Wellington tem uma lesão que requer um certo cuidado. O Aloísio vem de uma inatividade, mas eu percebo nos dois uma vontade muito grande de fazer parte", afirmou Mancini.
 

Fotos de América x Juventude pela Série A do Campeonato Brasileiro

 

O treinador do América enfatizou o desejo dos atletas que estão sem condições de jogo em retornar à equipe. Apesar de ter optado por um esquema com três atacantes velozes nos dois jogos em que comandou o Coelho neste retorno, Mancini pensa no uso de centroavantes mais fixos para a equipe mineira e conta com os jogadores agora indisponíveis.

"Quando você tem uma atuação dessas, não é só o banco que quer entrar. Aqueles que estão momentaneamente fora do vestiário também. O Berrío, agora, na saída do vestiário, falando: 'Pô, chefe, eu estou louco para voltar!'. Há uma mobilização muito grande, que eu espero que nos ajude nesse momento. São atletas importantes. Nós não temos, hoje, um nove de referência. É tudo muito rápido na frente: o Paulinho, o Pedrinho, o Everaldo... são atletas de características de velocidade. Então, nós temos que ter, em algum momento do jogo, alguém mais situado, mais perto dos zagueiros, que saia para prender a bola. Enquanto a gente não tiver, vamos dando esse jeito. Mas conto com eles sim, porque vai ser uma ajuda significativa dentro do que eu penso para a equipe", projetou.
 
 

Ainda sem os principais centroavantes à disposição, o América embarcou neste domingo (17) para Maceió, onde enfrentará o CSA às 19h da terça-feira (19), pela terceira fase da Copa do Brasil. A partida será realizada no Estádio Rei Pelé, na capital de Alagoas.

Compartilhe