Atlético

COPA LIBERTADORES

Destaques, escalação, estilo: conheça o Cerro, adversário do Atlético

Time paraguaio chega a BH depois de vitória no clássico contra o Olimpia

postado em 03/05/2021 10:30 / atualizado em 03/05/2021 13:17

(Foto: Divulgação / Cerro Porteño)

O Cerro Porteño chega com moral para enfrentar o Atlético, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. No sábado, os comandados de Francisco Arce, o ex-lateral de Grêmio e Palmeiras, venceram o clássico contra o Olimpia por 2 a 0, no estádio La Olla, pelo Campeonato Paraguaio.

Com o resultado, o Cerro alcançou o Olimpia e o Libertad na liderança do Apertura, com 26 pontos - o Libertad ainda tem um jogo a menos.

O time paraguaio tem invencibilidade de quatro jogos na temporada, sendo dois na Copa Libertadores (2 x 0 no América de Cáli, na Colômbia, e 0 x 0 contra o Deportivo La Guaira, no Paraguai) e dois no Campeonato Paraguaio (2 a 0 no Olimpia e 1 a 0 no Guaireña). A última derrota ocorreu no dia 18 de abril, para o Libertad: 3 a 0.

Cerro e Atlético dividem a ponta do Grupo H da Libertadores, com 4 pontos em dois jogos. O time paraguaio viaja nesta segunda e deve chegar à capital mineira durante a noite. Arce dispõe de todo seu plantel para a partida no Mineirão, que está marcada para terça-feira, às 19h15.

Pontos fortes


O time de Arce tem jogadores conhecidos do futebol brasileiro como o experiente atacante Mauro Boselli, um dos carrascos do Cruzeiro na final da Libertadores de 2009. No gol, a equipe tem Jean, ex-Atlético-GO. Ele ganhou as manchetes no Brasil por ter sido preso em Orlando, nos Estados Unidos, acusado de agredir a ex-esposa Milene Bemfica, quando ainda defendia o São Paulo, em 2019.

A defesa é um dos pontos fortes do time paraguaio. "Cerro tem como ponto alto seu bom funcionamento coletivo", disse o jornalista Victor Sostoa, da rádio La Unión, que elogiou a dupla de zaga Juan Patiño e Alexis Duarte. "São seguros", resumiu. O time de Assunção levou 16 gols em 15 jogos em toda temporada.

"No meio, os volantes internos Mathias Villasanti e Ángel Cardozo Lucena são considerados a melhor dupla nesta função no futebol paraguaio", frisou o jornalista.

Bom lateral que era, Arce tem nas extremidades duas armas, disse o jornalista: "Utiliza muito os laterais Espinola e Arzamendia, que apoiam bastante no ataque", destacou Sostoa.

O principal atleta do time é o meia-atacante Claudio Aquino, que jogou pelo Fluminense em 2016. Em 15 jogos na temporada, marcou três gols. "O argentino Aquino é o melhor jogador da equipe. É quem organiza todas as ações ofensivas".

(Foto: Divulgação / Cerro Porteño)

Ponto fraco


Em 16 jogos, o Cerro marcou apenas 21 gols no ano. O número de tentos anotados poderia ser bem maior tendo em vista o baixo nível de competitividade do Campeonato Paraguaio. "A debilidade do Cerro é a falta de maior profundidade e contundência para aproveitar as oportunidades de gol", disse Sostoa.

Provável escalação


Sem desfalques, o técnico Arce ainda não divulgou o time que vai entrar em campo, mas a tendência é que o Cerro jogue com Jean Fernandes, Alberto Espínola, Juan Patiño, Alexis Duarte e Santiago Arzamendia; Enzo Giménez, Mathías Villasanti, Ángel Cardozo e Federico Carrizo; Claudio Aquino e Robert Morales.