Atlético
1

FESTA ADIADA

Sem o bi, mas sem preocupação: atleticanos cantam e exalam confiança

O tão sonhado bicampeonato brasileiro não veio nesta terça-feira (30/11), mas a fé do torcedor alvinegro está inabalável

postado em 30/11/2021 23:52 / atualizado em 01/12/2021 00:24

(Foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Sem o grito de bicampeão, mas sem frustração. Embora o  torcedor do Atlético Mineiro não tenha celebrado o bicampeonato  nesta terça-feira (30/11), o público que compareceu aos bares para “secar” o Flamengo nesta noite continua otimista com o título que ainda pode ser garantido na próxima quinta-feira (2/11).
 
Uma cena que ilustra o apoio e a confiança alvinegra foi flagrada no bar Devotos, reduto atleticano na Região Centro-Sul belo-horizontina. Logo após o apito final no Maracanã, que sacramentou a vitória flamenguista e adiou o bicampeonato do Galo, torcedores entoaram uma das músicas que tem embalado o time no Mineirão: “Vamos, Galo! Ganhar o Brasileiro! Vamos, vamos Galo! Ganhar o Brasileiro”. 
 
 

Na Praça da Savassi, na mesma região da cidade, os atleticanos torceram fielmente para o Ceará, que perdeu para o rubro-negro por 2 a 1. O psicólogo André Lima, de 25 anos, chegou até a soltar fogos com o gol de empate, mas teve de guardar o restante para o próximo jogo do Galo.
 
(Foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
 
 
“Não estou nem um pouco frustrado, meu time não estava em campo. Vou guardar os sinalizadores até quinta-feira. Vai ser o momento mais importante da minha vida”, afirmou o rapaz, atleticano por influência do pai, que ainda alfinetou o rival carioca. “O Flamengo nunca ajuda, ele é sempre ajudado. Mas é isso, a gente vai ganhar com nosso time em campo, vamos fazer uma festa bonita. O Galo é assim. A gente espera mais um pouco.”
 
(Foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
 

Entre as mesas dos bares não foi difícil encontrar quem fez alguma promessa para vivenciar o bicampeonato. É o caso do engenheiro civil Fausto Carvalho, de 48, que já tatuou o mascote do time na panturrilha. “É uma promessa que eu fiz em 2012 e estou desde então esperando”, conta sem medo de dar azar, já que o título ainda não é garantido. “A gente que é torcedor do Galo sofre bastante. Mas já estamos estamos com as duas mãos na taça, só não levantamos ainda porque foi adiado pra quinta”, afirmou.
 
(Foto: Alexandre Guzanshe/EM D.A Press)
 
 
Em outra mesa, um grupo de quatro amigos não dispensou a faixa de bicampeão. O contador Hélio Correia, de 47, manteve o sorriso mesmo após a vitória do rubro-negro carioca. “Não estou nada frustrado. Aqui é alegria total. O título é nosso”, disse otimista. “Torci muito hoje pro Ceará e contra o Flamengo já torço naturalmente”, brincou.
 
(Foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
 

O colega Shaidon Hiran, de 39, mantém a confiança e está de olho na matemática. “O Galo só precisa de um jogo, vamos chegar lá. O grito de bicampeão está entalado”, explicou o engenheiro. 
 
(Foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
 

Ao lado dele estava o administrador André Rocha, de 34, que vai acumular multas no condomínio por deixar a bandeira do Galo na janela. “Já tomei uma multa e vou tomar outra porque vai virar o mês e não vou tirar ela de lá”, provoca com a faixa no peito e o pensamento também na Copa do Brasil, como o amigo Rogério da Silva, de 40: “Estou guardando a voz pra quinta-feira e já planejando a comemoração da Copa do Brasil”, afirmou.

Tags: Brasileirão bicampeonato atleticomg