UAI

2

Vice-presidente do Flamengo tem histórico de provocações ao Atlético

Rodrigo Dunshee de Abranches soma falas polêmicas sobre o Galo e não tem boa relação com a cúpula alvinegra

10/02/2022 19:00 / atualizado em 10/02/2022 20:00
compartilhe
Em três oportunidades, Rodrigo Abranches, vice-presidente do Flamengo, teve atritos com o Atlético
foto: Divulgação/Flamengo

Em três oportunidades, Rodrigo Abranches, vice-presidente do Flamengo, teve atritos com o Atlético


Rodrigo Dunshee de Abranches, vice-presidente do Flamengo, 'esquentou' a decisão da Supercopa do Brasil com mais uma fala polêmica nesta quinta-feira (10). Ao portal O Globo, o dirigente respondeu uma provocação de Sérgio Coelho, presidente do Atlético: "A gente trabalha, não vive de mesada. Deixa ele falar".
 
 

A final da Supercopa do Brasil está cercada de entreveros por conta do local de realização. Nesta quarta-feira (9), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu que o torneio será disputado na Arena Pantanal, em Cuiabá, no dia 20 de fevereiro.

A decisão desagradou a cúpula atleticana, que emitiu nota através do presidente Sérgio Coelho. O vice do Flamengo já havia utilizado o Twitter para criticar o presidente do clube mineiro, que questionou o local do duelo. "Existem pessoas que falam tanta besteira, que não merecem maior atenção", afirmou.

Sérgio Coelho não deixou barato. Ele respondeu ao ge: "Tem lobista, trasvestido de vice-presidente de time carioca que, na falta do que fazer - e também na falta de respeito e educação -, se presta ao papel de bobo da corte. Melhor: de "papagaio da corte". Aquele tipo de marionete usada pelos outros para mandar recados", disparou.
 

Treino do Atlético na Cidade do Galo - 10/02/2022

 

Cobrança por punição


Em outubro de 2021, Rodrigo Dunshee de Abranches disse que esperava uma pena severa ao Atlético por causa das atitudes do diretor de futebol, Rodrigo Caetano, e do auxiliar Eudes Pedro, relatadas na súmula do jogo contra o Santos (3 a 1), pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Sérgio Sette Câmara, ex-presidente alvinegro, respondeu ao cartola rubro-negro pelas redes sociais.

No documento, foi registrado que Rodrigo Caetano ofendeu a arbitragem, socou e chutou a porta da sala do VAR em reclamação pela não marcação de dois pênaltis para o Galo no primeiro tempo.
 
O auxiliar Eudes Pedro também foi citado. "Seus ladrões, parem de roubar. Nós não vamos aceitar isto", teria dito Rodrigo Caetano, segundo a descrição da súmula. "Aqui ninguém vai nos roubar", esbravejou Eudes Pedro, segundo a súmula.
 
 

Abranches defendeu a perda de mando de campo como punição ao Galo. "Quando o clube mandante não proporciona segurança para o trabalho da arbitragem, quando invadem ou tentam invadir a sala onde se pratica a arbitragem por vídeo, a consequência só pode ser uma: perda do mando de campo e punição severa dos invasores/agressores. Vamos aguardar o STJD".

Ex-presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara rebateu o flamenguista no Twitter. "Falou o representante do clube mais ajudado em TODOS os tempos pela arbitragem brasileira, cuja arrogância não lhe permite enxergar nada além do próprio umbigo!".

Receita bilionária em 2021


A ida à final da Copa Libertadores 2021 não só fez o Flamengo cumprir as metas orçamentárias como também fez o clube alcançar um feito histórico. Com os R$ 32 milhões arrecadados de premiação, o Rubro-Negro teve faturamento bilionário na temporada.

Em sua conta oficial no Twitter, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral do Flamengo, comemorou a receita histórica e aproveitou para alfinetar Atlético e Palmeiras. "Oi Bilhão! Bom te ver por aqui e sem mecenato", escreveu o dirigente rubro-negro.

Atlético e Flamengo decidirão a Supercopa do Brasil no domingo, 20 de fevereiro. O torneio é originalmente disputado entre o campeão do Campeonato Brasileiro e o campeão da Copa do Brasil, mas, como o Galo venceu as duas competições em 2021, o Rubro-Negro (vice do Brasileiro) tem direito de disputar pelo regulamento.
 

Ranking de clubes da IFHHS em janeiro de 2022

 

Compartilhe