UAI

2

Atlético não se preocupa com limite de estrangeiros e quer mantê-los

Clube tem sete jogadores nascidos no exterior (cinco é o máximo por jogo em competições nacionais) e pode contratar mais um

26/03/2022 05:00 / atualizado em 25/03/2022 00:38
compartilhe
Dylan iniciou bem a temporada 2022 e não deve deixar Atlético
foto: Pedro Souza/Atlético

Dylan iniciou bem a temporada 2022 e não deve deixar Atlético

O Atlético tem sete estrangeiros no elenco e está a ponto de contratar mais um (Cristian Pavón, atacante em fim de vínculo com o Boca Juniors). Em competições nacionais, o limite de utilização de jogadores nascidos fora do Brasil é de cinco. Mesmo assim, o clube alvinegro pretende manter todos no grupo.

Atualmente, o elenco do Galo conta com os zagueiros Diego Godín (uruguaio) e Junior Alonso (paraguaio), os meio-campistas Matías Zaracho (argentino), Dylan Borrero (colombiano) e Nacho Fernández (argentino), além dos atacantes Eduardo Vargas (chileno) e Jefferson Savarino (venezuelano). Pavón (argentino), se contratado, será o oitavo.

"Todos esses jogadores citados, nós não temos o menor interesse que saiam do nosso plantel. São jogadores importantes. Acho que o treinador consegue trabalhar com sete estrangeiros. No ano passado tínhamos esse número também, né? Isso dá para ir trabalhando", argumentou o presidente do Atlético, Sérgio Coelho, em entrevista ao Superesportes.

Em 2021, o Atlético tinha sete estrangeiros no elenco, como frisou o mandatário. A diferença é que, no ano passado, o grupo contava com o meio-campista equatoriano Alan Franco; nesta temporada, tem Diego Godín para a zaga.

Diante do alto número de estrangeiros, a diretoria alvinegra chegou a cogitar a saída por empréstimo de Dylan. O colombiano, porém, iniciou a temporada muito bem e tem sido bastante utilizado pelo técnico Antonio Mohamed.

"Falando especificamente do Dylan, é um grande jogador, um atleta fantástico. Tenho certeza que vai dar muita alegria para nós atleticanos. Vamos deixar para que o treinador lide com isso, como conseguimos lidar no ano passado", completou Sérgio Coelho.


Compartilhe