UAI

2

Kalil sobre venda do Diamond pelo Atlético: 'Está sendo feita com juízo'

Ex-presidente atleticano esteve na sede do Atlético para reunião sobre negociação de 49,9% do shopping e se posicionou favorável à venda

25/05/2022 11:50 / atualizado em 25/05/2022 12:57
compartilhe
Alexandre Kalil conversou com a imprensa na saída da reunião na sede do Atlético
foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press

Alexandre Kalil conversou com a imprensa na saída da reunião na sede do Atlético


Conselheiro do Atlético, Alexandre Kalil se reuniu, na manhã desta quarta-feira (25), com membros do Conselho Deliberativo alvinegro, na sede de Lourdes, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, para tratar da possibilidade da venda dos  49,9% do Diamond Mall que ainda pertencem ao clube. Após o encontro, o ex-presidente atleticano se mostrou favorável ao negócio e elogiou a forma como o processo está sendo conduzido. 



"Vieram aqui para me explicar, mais ou menos, o que vai ser feito para a venda do shopping. Eu fiquei satisfeito. O presidente do Conselho (Castellar Modesto Guimarães Filho) vai assumir uma comissão para estudo, vai ser bem transparente. É aquela história: é só o presidente que sabe o aperto do Atlético. Temos que respeitar isso. A princípio, acho que está sendo feito com muito juízo e responsabilidade. São homens de bem, então, eu fico tranquilo. Eu agradeço a gentileza por terem me chamado para a reunião", declarou o ex-prefeito de Belo Horizonte e atual candidato ao governo de Minas Gerais, em conversa com a imprensa. 

"Se a venda do shopping é importante, e tudo que me explicaram lá dentro, que não tinham obrigação de fazer, eu estou satisfeito. Se vender o shopping é em um bom momento, o negócio deve ser feito, com a transparência que tem sido pelos homens que estão à frente do Atlético. No Atlético, tudo que me chamarem, eu estou à disposição. Afinal de contas, o que eu gosto de fazer é passar o domingo de manhã com as minhas netas e assistir ao Atlético à tarde", disse Kalil, bem-humorado.

Em outubro de 2019, Alexandre Kalil chegou a tuitar que não aceitaria a proposta de venda do percentual restante que o Atlético tem do espaço do Diamond Mall. "Quem pensa que vai vender o restante do shopping para pagar dívida... Esperem eu morrer.  Acham que o clube é feito por dementes", publicou, à época. 



Nesta quarta, porém, ao ser questionado pelos jornalistas, Kalil brincou com a antiga declaração. "É o seguinte: ou eu mudei de ideia ou eu morri", disse, aos risos. 


Venda do Diamond Mall


A venda dos 49,9% do Diamond Mall será discutida pelo Conselho Deliberativo do Atlético na próxima semana.  A reunião está marcada para 30 de maio, às 8h, com 2/3 do número total de conselheiros (280 pessoas). A segunda convocação, marcada para às 9h, não tem número mínimo de participantes. A votação vai até as 18h de 31 de maio.

Para aprovar a venda da porcentagem restante do Diamond Mall, o Atlético precisa que 2/3 do Conselho Deliberativo vote a favor. Dessa forma, 280 conselheiros precisam concordar com a alienação do shopping, avaliado em R$ 363,2 milhões (valor divulgado pelo clube durante o Galo Business Day). 

O Atlético vem apresentando aos conselheiros diversos estudos para mostrar que a venda do Diamond Mall é solução para o clube diminuir as dívidas onerosas. O Galo pagou, no ano passado, cerca de R$ 87 milhões em juros. 

Os juros são de dívidas envolvendo empréstimos bancários, acordos trabalhistas e com agentes. Em estudo recente enviado aos conselheiros, o Atlético ressaltou que a venda do Diamond Mall faz parte do plano de recuperação financeira do clube.

No estudo também, o Atlético deixou claro que o dinheiro da venda do shopping é para solucionar problemas financeiros. Assim, não serão feitos investimentos no futebol. O valor também não será utilizado para quitar parte da dívida com mecenas que ajudaram o clube a montar o time multicampeão no ano passado.
 
O Atlético projeta arrecadar entre R$ 270 e R$ 330 milhões com a venda do shopping. Poderia obter, por consequência, entre R$ 50 e R$ 61 milhões em descontos nas renegociações.
 
Uma segunda votação será realizada na data, para alienar as cotas de um Fundo de Invesitmento Imobiliário, cotista único da Arena MRV, a serem dadas em garantia de operação bancária. A destinação dos recursos será exclusivamente para a construção do estádio.

Segue:


Compartilhe