UAI

2

Hulk revela tom intimidador de Daronco: 'Cuidado com que vai falar lá fora'

De acordo com o atacante do Atlético, árbitro da partida contra o São Paulo no Mineirão disse ainda: 'Não é o último jogo que vou apitar seu'

10/07/2022 20:57 / atualizado em 10/07/2022 21:41
compartilhe
Hulk deu forte declaração sobre conversa com Daronco após o fim do jogo no Mineirão
foto: Alexandre Guzanshe/Atlético

Hulk deu forte declaração sobre conversa com Daronco após o fim do jogo no Mineirão


Após o empate sem gols do Atlético com o São Paulo, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, Hulk deu fortes declarações sobre uma conversa com o árbitro Anderson Daronco após a partida. O atacante do Galo questionou um lance em que caiu na área em disputa com o zagueiro Miranda.

De acordo com o ídolo atleticano, o árbitro da partida o orientou a ter cuidado com as palavras nas entrevistas pós-jogo.

"O que mais me surpreendeu no final foi o Daronco chegar para mim e falar: 'Cuidado com o que você vai falar lá fora'. Vai dar interpretação de cada um. Não vou julgar. Eu jurei pelos meus quatro filhos, que é o que tenho de mais importante na minha vida. Ele chegou para mim e falou: 'Cuidado com o que você vai falar depois do jogo'. Eu disse: 'Daronco, eu sou homem, o que eu vou falar, eu vou assumir', relatou Hulk, completando.

"Ele falou: 'Tudo bem, não é o último jogo que vou apitar seu".


A reclamação de Hulk foi na reta final da partida. O jogador cobrou o dono do apito de ir verificar no VAR um possível pênalti para o Atlético. Para o atleticano, o lance envolvendo o zagueiro Miranda foi faltoso.

O detalhe é que Daronco não foi chamado à cabine do VAR para avaliar o lance. Isso leva a crer que o árbitro de vídeo entendeu o lance como normal.

Hulk diz que não sabe se ainda tem clima para Daronco continuar apitando jogos do Atlético. Ele diz que se o árbitro quer aparecer, que faça o seu trabalho bem feito para ter reconhecimento.

"Não sei (se tem clima para continuar apitando jogo do Atlético). O ser humano vive errando. Nossa margem de acerto é de 5%, 10%. A gente erra mais que acerta. Se ele errou, faz parte. Se é mal-intencionado ou não, não sei. Não sei se estou sendo perseguido. Tem situações que o árbitro pode tomar uma decisão ou outra. A gente respeita, sabemos que não é fácil. Nós que somos jogadores, precipitamos e tomamos a decisão errada. Ele chegou para mim e falou assim: 'Apitei dois jogos seu e vocês foram campeões'. Eu disse: 'Mérito nosso e a benção de Deus que fez a gente ganhar".

Hulk prosseguiu: "Agora, Daronco, não sei o que acontece contigo. Se quer aparecer, faz o seu trabalho bem feito e vai aparecer muito mais. Mas se é rixa ou não, não sei'. A conversa que tive com ele foi essa. Estou saindo daqui, mais uma vez, deixando bem claro, pelos meus quatro filhos. Ele chegou para mim e falou. 'Cuidado com o que você vai falar depois do jogo'. Se é uma ameaça ou não, pergunta a ele", completou o atleticano.

Cronologia dos fatos


Tudo começou em um lance envolvendo Hulk e Miranda na área. O jogador do Atlético reclamou muito e cobrou de Daronco a ida ao VAR, que não foi recomendada por Adriano Milczvski, responsável pela ferramenta na partida. 

O jogador do Galo foi flagrado reclamando até o fim da partida. Em certo momento, Hulk disse na beira do gramado. "Vergonha, vergonha".

Após o apito final, Hulk foi conversar com Daronco, e a partir daí surgiu toda a polêmica. Em entrevista na saída do gramado para o canal PFC, Hulk reclamou de pênalti não marcado.

"Não vi as imagens ainda. Mas no meu lance, com o Miranda, no meu ponto de vista, foi 100% pênalti. Eu não vi se ele tocou na bola primeiro. Ele vem de encontro a mim e eu tiro a bola. Se for fora da área, não pensa duas vezes e dá a falta. Tem que usar o mesmo critério. Falei com Daronco, tenho muito respeito pelo Daronco e por todos os árbitros brasileiros. Não estou falando mal dele. Você que tem personalidade forte e que assume a responsabilidade, vai ver o VAR e você marca pênalti ou não. Jogar a responsabilidade para o VAR é fácil. É mesma coisa de ter pênalti para o meu time, eu sou batedor oficial, se colocar outro para bater, estou fugindo da responsabilidade. Assume a responsabilidade".

O atacante do Galo continuou: "No meu ponto de vista, foram dois pênaltis. Não vi o lance ainda. Se não foi, peço desculpas. Mas, na minha concepção, na minha visão no campo, foi pênalti claro. Pelo menos o meu lance. O segundo eu não vi".

Hulk também reclamou com a forma que ele vem sendo visto em campo pelos árbitros. Ele relatou que, por ser mais forte, vem recebendo entradas duras que estão sendo ignoradas pelos árbitros. O jogador do Galo quer que o critério de faltas seja utilizado da mesma forma para todos os atletas.

"Não tem que ficar se lamentando, tem que jogar. É difícil. Por eu ser um cara fisicamente forte, eu sou muito prejudicado. Muito prejudicado. Os caras vem no meu corpo. Os zagueiros do time adversário falam: 'A gente já sabe, a gente vai no teu corpo sempre, porque a gente sabe que o juiz não vai dar. Tu é forte'. O próprio Victor, nosso ex-goleiro, falou com o Daronco: 'Ele não precisa ficar caindo para você marcar falta'. Eu não vou ficar caindo, vou tentar jogar até o máximo que puder. O árbitro tem que ver quando é falta e quando não é. É difícil. Não estou chorando, reclamando. Só estou pedindo para ter consciência. Do mesmo jeito que ele tem família, nós também temos família. A gente trabalha durante a semana para chegar aqui e dar o nosso melhor. Por vezes, não deixam a gente trabalhar. É difícil".

Na zona mista com os jornalistas no Mineirão, Hulk então revelou a polêmica com Daronco. Veja abaixo a fala completa do jogador do Galo.

"Pelos meus quatro filhos, a conversa que tive com ele ali. Eu disse: 'Daronco, o que eu achar, eu vou falar, porque eu tenho personalidade e consciência tranquila. Tudo que eu falo, eu assumo. Agora você tem que assumir, assim como você não assumiu de ver o VAR. Dois lances que poderia ver o VAR e decidir se marca o pênalti ou não marca'. Mas é muito fácil jogar responsabilidade para o segundo, para o terceiro. 

O que mais me surpreendeu no final foi o Daronco chegar para mim e falar: 'Cuidado com o que você vai falar depois do jogo'. Vai dar interpretação de cada um. Não vou julgar. Eu jurei pelos meus quatro filhos, que é o que tenho de mais importante na minha vida. Ele chegou para mim e falou: "Cuidado com o que você vai falar depois do jogo'. Eu disse: 'Daronco, eu sou homem, o que eu vou falar, eu vou assumir'. Ele falou: 'Tudo bem, não é o último jogo que vou apitar seu'. 

Não sei (se tem clima para continuar apitando jogo do Atlético). O ser humano vive errando. Nossa margem de acerto é de 5%, 10%. A gente erra mais que acerta. Se ele errou, faz parte. Se é mal-intencionado ou não, não sei. Não sei se estou sendo perseguido. Tem situações que o árbitro pode tomar uma decisão ou outra. A gente respeita, sabemos que não é fácil. Nós que somos jogadores, precipitamos e tomamos a decisão errada. Ele chegou para mim e falou assim: 'Apitei dois jogos seu e vocês foram campeões'. Eu disse: 'Mérito nosso e a benção de Deus que fez a gente ganhar". Agora, Daronco, não sei o que acontece contigo. Se quer aparecer, faz o seu trabalho bem feito e vai aparecer muito mais. Mas se é rixa ou não, não sei. A conversa que tive com ele foi essa. Estou saindo daqui, mais uma vez, deixando bem claro, pelos meus quatro filhos. Ele chegou para mim e falou. 'Cuidado com o que você vai falar depois do jogo'. Se é uma ameaça ou não, pergunta a ele".



Compartilhe