UAI

2

Elenco acomodado? Junior Alonso fala sobre problemas que vê no Atlético

Zagueiro paraguaio foi questionado sobre possível acomodação do elenco do Galo e apontou os principais desafios a serem superados pelo time de Cuca

02/08/2022 15:30 / atualizado em 02/08/2022 16:25
compartilhe
Junior Alonso não acredita que o elenco do Atlético tenha se acomodado com o ano de conquistas em 2021
foto: Pedro Souza/Atlético

Junior Alonso não acredita que o elenco do Atlético tenha se acomodado com o ano de conquistas em 2021


Elenco acomodado? O zagueiro Junior Alonso não acredita que isso seja um problema no Atlético. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (2), na Cidade do Galo, em Vespasiano, o defensor paraguaio fez um diagnóstico da temporada atleticana e projetou as correções a serem feitas.
 
 

Alonso diz que, desde que chegou ao Brasil, ouve falar em jogadores "de barriga cheia". Na avaliação do paraguaio, isso não é real entre atletas. Ele garante que todos tem novos objetivos e estão cientes da exigência no Atlético.

"Aqui no Brasil, já ouvi muito isso de os jogadores estarem de barriga cheia. Isso não existe. A gente sabe que o que a gente ganhou ano passado já acabou. 2022 é um novo ano. A gente tem novos sonhos, novos objetivos: conquistar novos títulos. Esse da Libertadores, por exemplo. A gente sabe disso. O professor Cuca também. Ele voltou com a mesma energia do ano passado e com uma exigência maior para ele e também para nós", disse.

"O mais difícil para um time, para jogadores que ganharam tudo, é voltar a ganhar. A exigência é alta. Todos os torcedores e a diretoria esperam mais de nós. Sabemos disso. Amanhã será um bom dia para recomeçar e levantar a cabeça. É o que todo mundo quer", completou.
 

Desempenho do Atlético em casa no mata-mata da Libertadores

 

Quais são os problemas do Atlético?


Ainda na análise de Junior Alonso, os problemas do Atlético estão inteiramente ligados ao coletivo - não se trata de uma responsabilidade somente de um ou outro setor da equipe. Na visão do defensor, os jogadores estão "em dívida" com a torcida e com eles mesmos.

"Falamos sempre do coletivo. Quando você fala do sistema defensivo, não é só o goleiro e os zagueiros. É o time todo, os 11 jogadores dispostos a fazer o trabalho na hora da marcação. É o mesmo no sistema ofensivo. Nos jogos passados, a gente dava um chute no gol, dois chutes no gol. Não é só problema dos atacantes. É um problema do coletivo: como a gente está trabalhando para chegar na área adversária", analisou. 

"Explicar é muito difícil, mas a gente sabe que a exigência vai existir, porque o clube está investindo muito, a torcida acredita em nós, e nós sabemos que temos que entregar mais. Estamos em dívida com eles, e principalmente com nós mesmos", acrescentou Alonso.
 
 

Por fim, o capitão do Atlético voltou a falar sobre o sonho de conquistar a Copa Libertadores da América. Ele reforçou a confiança do elenco e da torcida no título.

"Sonho de toda a torcida, da diretoria, dos jogadores - meu, principalmente, porque não ganhei ainda a Libertadores. Todo mundo sabe da responsabilidade desse jogo. Não importa que hoje a gente esteja longe de brigar pelo Brasileiro. A gente sabe que a nossa responsabilidade é passar de fase. Todo mundo acredita nisso. Os torcedores, que vão lotar o estádio, e nós jogadores também", projetou.

Em busca do sonho do bi da Libertadores, o Atlético receberá o Palmeiras às 21h30 desta quarta-feira (3), no Mineirão, em Belo Horizonte, para o jogo de ida das quartas de final. O duelo de volta será realizado na próxima quarta-feira (10), no Allianz Parque, em São Paulo, no mesmo horário.

Compartilhe