UAI

2

Galo: Cury notifica empresa para reter R$ 64 milhões da compra do shopping

Valor é referente a 28 ações ajuizadas pelo empresário contra o Atlético em relação a comissões em negociações de jogadores

03/08/2022 17:00 / atualizado em 03/08/2022 17:46
compartilhe
André Cury, agente do futebol, cobra mais de R$ 64 milhões do Atlético
foto: Arquivo pessoal

André Cury, agente do futebol, cobra mais de R$ 64 milhões do Atlético

 
O Atlético corre o risco de não receber o valor total (R$ 340 milhões) da venda de 49,9% do Diamond Mall, localizado na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Isso porque a Multiplan, companhia que já detinha os outros 50,1% do shopping, foi notificada extrajudicialmente pelo empresário André Cury, para que mais de R$ 64,2 milhões não sejam repassados ao Galo. 
 
A Link Assessoria Esportiva e Propaganda Ltda., empresa de Cury, exige da Multiplan o pagamento de dívidas do clube mineiro com o agente do futebol. Os valores são referentes a 28 ações ajuizadas pela organização contra o Atlético em relação a comissões em negociações de jogadores. 

O Superesportes teve acesso à notificação enviada por Cury à Multiplan. Nela, o empresário alega que o clube alvinegro não nega, em nenhuma das ações, o mérito pela prestação de serviços da empresa. 

O único ponto de desentendimento entre as partes está nos valores dos processos. O Galo discorda da data da conversão da moeda estrangeira, da incidência de juros e correção monetária. 

Por fim, a empresa de André Cury promete tomar medidas judiciais para garantir que R$ 64,2 milhões do valor total da venda do shopping não seja repassado ao Atlético. 

"Caso o notificado não faça a reserva dos valores e ou deposite em juízo, futuramente poderá ser caracterizada a fraude contra credores, respondendo pelos créditos devidos à notificante", iniciou. 

"Além de tudo que ora é apresentado por meio desta notificação extrajudicial, medidas judiciais serão tomadas para preservar o direito da notificante, ficando desde já o notificado ciente das consequências futuras em caso de aquisição dos 49,9% da parte cabível ao Clube Atlético Mineiro", finalizou. 

O Atlético reconhece as dívidas com Cury, mas discorda dos valores cobrados pelo agente. O clube argumenta sobre a data da conversão da moeda estrangeira, bem como a incidência de juros e correção monetária nos processos. 

Dívidas com Cury


A maior dívida do Atlético com o empresário é referente ao zagueiro Frickson Erazo, que teve passagem pelo Galo entre 2016 e 2017. O agente cobra mais de R$ 11 milhões de comissão pela contratação do defensor. A dívida por Lucas Pratto é a segunda mais cara da lista: R$ 6,7 milhões. 

Cury também cobra o clube por dois dos atuais jogadores do elenco alvinegro. Há dívidas relacionadas às contratações do lateral-esquerdo Guilherme Arana, em junho de 2021, e do atacante Eduardo Vargas, em novembro de 2020. Os débitos somados equivalem a R$ 8,5 milhões. 
 

Cobranças acumuladas

 
  • Arana (R$ 2.838.550,25)
  • Dudamel (R$ 1.113.963,25)
  • Dylan Borrero (R$ 2.450.288,18)
  • José Welison (R$ 2.305.290,83)
  • Leandrinho (R$ 948.634,10)
  • Leo Sena (R$ 1.564.949,65)
  • Luan (R$ 2.044.529,85)
  • Vargas (R$ 5.653.006,48)
  • Terans (R$ 3.287.889,65)
  • Otero (R$ 4.714.408,86)
  • Denilson Pereira (R$ 2.972.884,80)
  • Vina (R$ 1.377.635,91)
  • Erazo (R$ 11.661.871,59)
  • Lucas Pratto (R$ 6.708.863,92)
  • Rosinei (R$ 322.754,59)
  • Marcos Rocha (R$ 1.260.973,27)
  • Maicosuel (R$ 3.078.463,92)
  • Mansur (R$ 5.752.624,52)
  • Di Santo (R$ 1.728.718,18) 
 

Venda do shopping


O Atlético acertou a venda de 50,1% do shopping nessa terça-feira (2). "A Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. comunica aos seus investidores e ao mercado em geral ter exercido o seu direito de preferência na aquisição da participação remanescente de 49,9% do shopping center Diamond Mall, atualmente detida pelo Clube Atlético Mineiro, elevando sua participação para 100%.", lê-se no comunicado.

O pagamento dos R$ 340 milhões será feito da seguinte maneira: R$ 136 milhões à vista e os R$ 204 milhões divididos em 12 parcelas mensais, iguais e sucessivas, indexadas ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O objetivo do negócio é reduzir as dívidas alvinegras, especialmente aquelas com pagamento a curto prazo. Em 2017, o Atlético já havia vendido 50,1% do Diamond à Multiplan por R$ 250 milhões como forma de viabilizar a construção da Arena MRV.
 

Pagamento de dívidas 

 
O clube vinha apresentando aos conselheiros diversos estudos para mostrar que a venda do Diamond Mall é solução para o clube diminuir as dívidas onerosas. O Galo pagou, no ano passado, cerca de R$ 87 milhões em juros.

Os juros são de dívidas envolvendo empréstimos bancários, acordos trabalhistas e com agentes. Em estudo recente enviado aos conselheiros, o Atlético ressaltou que a venda do Diamond Mall faz parte do plano de recuperação financeira do clube.

O Atlético também deixou claro que o dinheiro da venda do shopping é para solucionar problemas financeiros. Desta forma, não serão feitos investimentos no futebol. O valor também não será utilizado para quitar parte da dívida com mecenas que ajudaram o clube a montar o time campeão no último ano. 

Compartilhe