Pastana critica árbitro de Cruzeiro x Operário: 'Atrapalhado e confuso'

Diretor se queixou da atuação de Rodrigo Dalonso Ferreira

16/09/2021 22:32 / atualizado em 18/09/2021 07:53
compartilhe
Diretor de futebol Rodrigo Pastana se pronunciou a respeito da atuação da arbitragem em Cruzeiro 1x1 Operário
foto: Reprodução/Cruzeiro

Diretor de futebol Rodrigo Pastana se pronunciou a respeito da atuação da arbitragem em Cruzeiro 1x1 Operário


O diretor de futebol Rodrigo Pastana chamou o árbitro catarinense Rodrigo Dalonso Ferreira de “atrapalhado e confuso” após a atuação no empate do Cruzeiro com o Operário (1 a 1), nesta quinta-feira, em Sete Lagoas, pela 24ª rodada da Série B. A principal queixa foi no lance protagonizado pelo atacante Marcelo Moreno, que garantiria a vitória por 2 a 1 com um gol marcado aos 52 minutos do segundo tempo.



Dalonso validou a jogada, porém voltou atrás após assistir ao replay no monitor à beira de campo em meio a 10 minutos de paralisação. Responsável pelo VAR, o potiguar Pablo Ramon Goncalves Pinheiro não chegou a uma conclusão quanto a um possível domínio com o braço direito do meia Marco Antônio, autor da assistência para Moreno.

“Tentarei ser ponderado aqui, mas a arbitragem de hoje foi muito mal com o Pablo, se não me engano, que é o rapaz do vídeo. O Cruzeiro tem certeza que o lance foi inconclusivo. Quando o lance é inconclusivo, normalmente nem é chamado o VAR. O árbitro decide em campo no último minuto”, disse Pastana, criticando ainda a não expulsão de Leandro Vilela, volante do Fantasma, que cometeu várias faltas em cima de Wellington Nem.

“Tivemos uma vitória limpa, assim como tem sido limpa a conduta do Cruzeiro em todos os direitos. Peço um pouco de atenção nas escalas. Hoje veio um árbitro atrapalhado e confuso em suas decisões. O Vilela já tinha cartão amarelo, deu uma pescoçada no Wellington Nem no início do segundo tempo, era para ser expulso, não foi expulso. Logo em seguida o treinador deles tirou o jogador de campo. Isso vem nos prejudicando”.



O diretor do Cruzeiro ressaltou que outros clubes estão insatisfeitos com o desempenho do VAR na Série B e cobrou a mesma qualidade da tecnologia oferecida na elite do Campeonato Brasileiro. “O Vasco já reclamou do VAR, outras equipes reclamaram do VAR. Não sei porque não é a mesma empresa que faz o VAR para as Séries A e B. Isso é prejudicial ao futebol brasileiro, não só ao Cruzeiro”.

“Peço um pouco de atenção e espero que a CBF reveja os posicionamentos relacionados à arbitragem. Jogamos um campeonato que nós valorizamos muito trazendo o torcedor, e acontece uma coisa dessas. É muito ruim. Mais uma vez, o Cruzeiro se posiciona de forma indignada como aconteceu aqui. Vamos procurar nossos direitos junto ao Gaciba (presidente da Comissão de Arbitragem) e o que podemos reclamar. Não somos contra o VAR, e sim a favor da Justiça. Que a regra seja igual para todos”.



O empate com o Operário em Sete Lagoas fez o Cruzeiro chegar a 30 pontos na Série B, distante do quarto colocado, CRB, que soma 41. Embora o time acumule 11 jogos de invencibilidade (quatro vitórias e sete empates), a chance de acesso caiu de 1,9% para 1,3%, de acordo com o Departamento de Matemática da UFMG. O próximo adversário é o Vasco, às 16h de domingo, em São Januário, no Rio de Janeiro, pela 25ª rodada.



Compartilhe