Organizada do Remo denuncia injúria racial de torcedor do Cruzeiro no Horto

Episódio aconteceu durante duelo entre as equipes pela Série B do Campeonato Brasileiro

29/10/2021 01:00 / atualizado em 29/10/2021 02:11
compartilhe
 
A torcida organizada 'Barra do Remo' denunciou, nesta quinta-feira, no Twitter, um caso de injúria racial no Independência. O vídeo (assista acima) foi divulgado minutos após a derrota do Cruzeiro por 3 a 1 para a equipe paraense, pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Nas imagens é possível ouvir um torcedor gritar 'macaco' enquanto o atacante Jefferson, do Remo, comemora com seus companheiros o segundo gol dos visitantes. A gravação não permite a identificação do autor da injúria racial. Vale lembrar que o estádio só recebeu torcedores do Cruzeiro. 

"Fogo nos racistas! A vitória foi espetacular, mas infelizmente manchada por mais um episódio de racismo no futebol brasileiro. O nosso atacante Jefferson foi chamado de macaco pela torcida adversária enquanto comemorava o nosso segundo gol. Até quando?", questionou o perfil da 'Barra do Remo'.

Após a publicação da organizada, o Remo também reproduziu o vídeo em suas redes oficiais. "Até quando isso? O que ainda vai precisar acontecer para tomarem alguma atitude?", escreveu o clube, que ainda marcou os perfis da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Observatório Racial do Futebol.

Esse não é um caso isolado envolvendo um suposto torcedor do Cruzeiro. Em setembro, após o CSA bater a Raposa no Independência, o atacante Iury Castilho foi  alvo de injúria racial nas redes sociais

No Instagram , o atacante recebeu mensagens que o chamavam, entre outras coisas, de 'macaco' e 'preto filho da p***'. Os ataques foram revelados pelo próprio Iury em sua conta pessoal. 

O Superesportes procurou o Cruzeiro e aguarda um posicionamento. Esta reportagem poderá ser atualizada a qualquer momento. 


Punição?


Neste ano, em uma decisão inédita do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Brusque foi punido com a perda de três pontos na Série B em função de injúria racial sofrida por Celsinho, do Londrina, durante um jogo pelo torneio nacional. 

Na oportunidade, o jogador identificou um dirigente do clube catarinense que o atacou das arquibancadas. A injúria racial foi relatada em súmula. Julio Petermann, presidente licenciado do Conselho Deliberativo do Brusque e autor das ofensas, também foi condenado a 360 dias de suspensão, mais multa de 30 mil reais.

Torcida do Cruzeiro se revolta com mais uma derrota na Série B



Memes da derrota do Cruzeiro para o Remo no Horto



Compartilhe