Fluminense

CRUZEIRO

Estacionamento do Mineirão volta a ser palco de confusão após empate do Cruzeiro

Conselheiros quase foram agredidos na saída dos camarotes

postado em 10/10/2019 00:18 / atualizado em 10/10/2019 00:47

<i>(Foto: Tiago Mattar/EM/D. A Press)</i>
 Assim como ocorreu depois do empate por 1 a 1 com o Internacional, no sábado, o estacionamento dos camarotes do Mineirão foi palco de confusão nesta quarta-feira após o 0 a 0 do Cruzeiro com o Fluminense pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Revoltados com o momento ruim do time e o risco de rebaixamento, torcedores protestaram contra o presidente Wagner Pires de Sá e perseguiram conselheiros alinhados com a diretoria.
Dois senhores, um deles muito parecido com Wagner, chegaram a ser perseguidos no estacionamento e precisaram ser protegidos por dezenas de seguranças da Minas Arena, operadora do estádio. Acompanhados de alguns familiares, eles foram conduzidos até seus carros em meio a xingamentos e risco iminente de agressões físicas.
Em seguida, alguns torcedores exibiram faixas pedindo a saída do presidente. O mesmo grupo impediu momentaneamente a saída do conselheiro Vittorio Galinari, diretor da Sede Campestre do Cruzeiro e aliado de Wagner Pires de Sá. Ele foi xingado seguidamente e chamado de “bandido”.

Galinari só conseguiu deixar o Mineirão quando a equipe de seguranças dissipou os manifestantes.

<i>(Foto: Tiago Mattar/EM/D. A Press)</i>




Tags: cruzeiro pressão fluminenserj seriea pressão xingamentos confusão mineirão saída