Futebol Nacional

SPORT

No confronto entre os piores ataques, Sport aposta na coletividade para se afastar do Z4

Na edição mais 'artilheira' da Série A nos últimos anos, equipes rubro-negras marcam 0,9 gol por partida; média da competição é 34% maior

postado em 22/11/2020 14:15 / atualizado em 22/11/2020 15:17

(Foto: Heber Gomes/ACG / Anderson Stevens)
Sport e Atlético Goianiense, além de posicionados na parte de baixo da tabela da Série A do Campeonato Brasileiro, têm um fator em comum nesta temporada da competição: baixa média de gols por partida. Cada um tem 19 marcados em 21 partidas e estão empatados com o Athletico/PR na lanterna da lista das equipes mais artilheiras do Brasileirão. Somados, os rubro-negros que se enfrentam nesta segunda-feira possuem um ataque pouco mais eficiente que o líder do campeonato, Flamengo, 37 gols.

As equipes foram promovidos juntas à Série A na temporada passada. O Leão terminou a competição em segundo, já o Dragão Goiano garantiu a vaga no G4 apenas na última rodada e subiu de divisão na quarta colocação. O Sport fechou a Série B 2019 com o segundo melhor ataque, 49 gols: desempenho 42% maior que o da equipe na atual Primeira Divisão. 

Para alcançar esse patamar, o Rubro-negro da Ilha do Retiro contou com atuações individuais que fizeram a diferença. Somente os atacantes Guilherme, hoje no Al-Faisaly, e Hernane Brocador, que perdeu a forma e titularidade no esquema tático de Jair Ventura, foram responsáveis por 63% dos gols anotados.

No Brasileirão 2020, sem algumas peças da campanha da temporada passada, o Sport demonstra render mais quando aposta na coletividade - haja vista que 11 atletas diferentes anotaram os 19 gols marcados. Observando isso, o goleiro Luan Polli, um dos líderes do grupo, que retorna à posição após cumprir suspensão automática diante do Vasco, apontou que, para atingir os objetivos na competição, o Sport terá que aguçar o senso coletivo.

“É fácil chegar no topo, como a gente costuma dizer, o difícil é se manter. Agora nós temos que ter a cabeça boa, continuar trabalhando bem, forte para manter esse nível de atuação, mas antes de tudo ajudar o time. A individualidade a gente deixa em segundo plano, pois naturalmente elas acontecem. Temos que, principalmente, ajudar o Sport nos objetivos que do ano”.

O Atlético Goianiense vem de empate diante do atual campeão Flamengo. Apesar do bom resultado, a equipe de Goiás não vence há cinco partidas e está a quatro pontos do Z4. Último colocado antes da zona de rebaixamento, o Dragão pode entrar em campo ainda mais ameaçado pela degola, afinal o Vasco, 17º colocado, encara, hoje, às 16h, o São Paulo e, caso pontue, ultrapassará os goianos.