UAI

2

Justiça australiana rejeita recurso, e Djokovic está fora do Australia Open

Autoridades australianas temiam que presença do número um do mundo no país, sem ter se vacinado, pudesse mobilizar o sentimento antivacina

16/01/2022 08:55 / atualizado em 16/01/2022 11:11
compartilhe
 Justiça decidiu que Djokovic não pode ficar na Austrália, pois não está vacinado
foto: WILLIAM WEST / AFP

Justiça decidiu que Djokovic não pode ficar na Austrália, pois não está vacinado


O não vacinado Novak Djokovic está fora do Aberto da Austrália. O tenista número um do mundo foi definitivamente banido da competição depois do julgamento final, numa sessão extraordinária, em Melbourne, que durou quase nove horas. 

O júri decidiu que o tenista sérvio terá seu visto cancelado, o que o impede de disputar o primeiro Grand Slam do ano do qual é o atual campeão.  Djokovic ainda terá que arcar com os custos do julgamento. 
 
A organização do Aberto da Austrália chegou a divulgar que Djokovic seria o cabeça de chave número 1, mesmo diante da polêmica sobre a sua presença no país na condição de não vacinado. O sérvio entraria em quadra nesta segunda-feira (17) para enfrentar o compatriota Miomir Kecmanovic pela primeira rodada do torneio. 

O atual número 1 do mundo buscaria seu 21º título de Grand Slam, o que o tornaria o recordista. Atualmente, ele, o espanhol Rafael Nadal e o suíço Roger Federer têm 20 conquistas cada. 
 
Djokovic chegou à Austrália no dia 5 de janeiro, admitindo que não estava vacinado. Ele argumentou que havia testado positivo para COVID-19 em 16 de dezembro. No aeroporto, a polícia alfandegária o barrou alegando que o tenista não apresentou todos os documentos necessários para justificar sua entrada no país. 

Há dois dias, na sexta-feira (14), Alex Hawke, ministro da Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais da Austrália, fez uso de sua autoridade e cancelou o visto do sérvio. A defesa do tenista, então, entrou com recurso para que ele pudesse permanecer em território australiano e, assim, disputar o Australia Open.  
 
Djokovic permaneceu detido até o julgamento que aconteceu na noite de sábado (15) no Brasil e já domingo (16) na Austrália. O receio das autoridades australianas é que a presença dele no país, sem ter se vacinado, pudesse mobilizar o sentimento antivacina. A organização do Austrália Open se manifestou sobre o caso. "A Federação de Tênis da Austrália respeita a decisão da corte federal. Seguindo as regras do torneio, a posição do cabeça de chave número 1 será preenchida por um 'Lucky Loser' [jogador de melhor ranking derrotado nas fases classificatórias]", disse nas redes sociais. 
 
 

Novak Djokovic deixou Melbourne, neste domingo (16), em um avião com destino a Dubai. "Respeito o julgamento do tribunal e colaborarei com as autoridades competentes quanto à minha saída do país. Agora vou tirar algum tempo para descansar e recuperar", disse Djokovic num comunicado de imprensa. 
 

Compartilhe