Vôlei

JOGOS OLÍMPICOS

Campeão olímpico, Alison aprova adiamento dos Jogos: 'Decisão perfeita'

Medalhista de ouro no Rio no vôlei de praia concorda com decisão

postado em 24/03/2020 18:46 / atualizado em 24/03/2020 19:30

(Foto: CBV/Divulgação )
O campeão olímpico Alison Cerutti comemorou a decisão de adiar a Olimpíada de 2020 para 2021 nesta terça-feira. O atleta de vôlei de praia destacou que este período que o mundo vive, em meio a pandemia do coronavírus, é muito preocupante e que isso já estava atrapalhando o seu rendimento nos treinamentos, tornando os Jogos de Tóquio, que seriam daqui a quatro meses, inviáveis.

“Foi a decisão mais sensata a ser tomada, eu apoio, por tudo isso que o mundo vem passando, e, como atleta de alto rendimento, acho essa decisão perfeita. Restando apenas quatro meses para os Jogos, eu já não estava mais conseguindo treinar, estava muito preocupado com tudo isso, principalmente com medo de pegar esse vírus. A gente também tem família, amigos e nós somos seres humanos antes de qualquer coisa. Temos certeza que vamos estar ainda mais preparados para o próximo ano”, disse.

O medalhista de ouro nas Olimpíadas Rio-2016 e de prata na de Londres-2012 detalhou estar há dez dias sem treinar direito, apenas realizando a parte de academia, onde não consegue ter o mesmo rendimento que na areia e nos treinos com bola, que estão impraticáveis devido a quarentena.

Os campeonatos também estão paralisados e os atletas não sabem quando poderão voltar nem aos treinamentos e nem às quadras. Com isso, a programação terá que ser alterada e Mamute relatou estar, junto com a sua equipe, buscando um jeito de se adaptar da melhor maneira possível.

“Com o adiamento dos jogos a programação já muda, talvez este ano eu jogue quatro ou cinco torneios. Se isso não passar (pandemia), talvez nenhum. Existe essa incerteza, mas nossa equipe já deve estar reunida visado o próximo ano, que continua sendo importante. Nesse ano, assim que passar esse período de quarentena, a gente vai tentar recuperar ele da melhor maneira possível, com treinamentos mais intensos. Quase no meio da temporadas, a programação começa do zero e a gente tem que se adaptar isso o mais rápido possível”, comentou.

“Se cuidem, vamos tomar as medidas corretas, fiquem em casa. Vamos cuidar de nosso parentes, de nossos idosos, é muito importante que todo mundo de um pouco de atenção a isso tudo que a gente está passando para que não possa aumentar ainda mais e piorar a situação. Está sendo um momento de bastante reflexão. Eu acho que o Brasil tem tudo pra dar uma aula e mostrar para o mundo essa união que a gente pode fazer”, finalizou Alison.

Tags: volei olimpíada vôlei de praia tóquio alison campeão olímpico