Vôlei
1

SUL-AMERICANO DE VÔLEI

Brasil leva susto, mas vira contra Argentina e fatura mais um Sul-Americano

Time comandado por Renan Dal Zotto conquista 32º título continental

postado em 14/09/2019 23:52

<i>(Foto: Reprodução/CBV)</i>
O Brasil sofreu, esteve muito perto de ser derrotado por 3 a 0, mas salvou quatro match points e conquistou uma virada fantástica diante da Argentina. Com o triunfo por 3 sets a 2, neste sábado, em Santiago, a Seleção Brasileira conquistou o título do Sul-Americano de Vôlei pela 32ª vez, em 33 participações. O time verde-amarelo só não levantou a taça em 1964, quando não esteve presente na disputa em Buenos Aires. 

As parciais da grande virada brasileira foram de 24/26, 22/25, 31/29, 25/20 e 15/13. A Argentina, que fora batida pelo Brasil na fase de classificação por 3 sets a 1, dessa vez dificultou demais para a equipe do técnico Renan Dal Zotto. Os hermanos, comandados pelo treinador do Cruzeiro, Marcelo Mendez, abriu 2 a 0 de forma impecável e esteve muito perto de aplicar um 3 a 0. Mas valeu o espírito de luta dos brasileiros, que se superaram para buscar uma reação fantástica em Santiago, no tie-break. 

<i>(Foto: Reprodução/CBV)</i>
O Brasil levou uma equipe mesclada, com jovens e alguns atletas mais experientes. Já classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, com uma virada incrível sobre a Bulgária, em Varna, o time verde-amarelo teve certa dificuldade para acertar o posicionamento em quadra, muito em função do entrosamento. Em compensação, sobraram disposição e garra dos jogadores para a virada.

BRASILEIROS ENTRE OS DESTAQUES

O Brasil teve alguns destaques no Sul-Americano de Vôlei. Três jogadores apareceram na seleção dos melhores da competição: o ponteiro Leal, o central Flávio - que deixou o Minas e se transferiu para o Sesc-RJ - e o oposto Alan, escolhido como o MVP - o mais valoroso do torneio. 

O cubano Leal, que marcou 11 pontos na final diante da Argentina, disse que a maior virtude dos jogadores na virada foi o lado coletivo. "Acredito que a união de todo o grupo permitiu que pudéssemos reverter o resultado, num jogo muito complicado. Graças a Deus ganhamos, ficando com o título", comemorou o ponteiro, ex-ídolo da torcida do Cruzeiro e que defende o Civitanova, da Itália.

<i>(Foto: Reprodução/CBV)</i>
 

Tags: Renan Dal Zotto Seleção Brasileira Sul-Americano de Vôlei leal argentina brasil santiago virada