Cruzeiro

CRUZEIRO

Bem na defesa, Cruzeiro trabalha para melhorar ataque e bater time mais vazado do Brasileiro

Time celeste marcou apenas 26 gols em 32 rodadas no Brasileiro

postado em 13/11/2019 18:30 / atualizado em 13/11/2019 19:34

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Defensivamente, o Cruzeiro se ajustou no returno do Campeonato Brasileiro e sofreu apenas oito gols em 13 jogos, mesmo número do líder Flamengo. Agora, é preciso melhorar a parte ofensiva para afastar o risco de rebaixamento à Série B. Os 26 gols em 32 rodadas deixam o time com o quarto pior ataque da competição, acima de Chapecoense (25), CSA (21) e Avaí (16).

Dos 26 gols, Thiago Neves marcou seis e é o artilheiro celeste. Fred é o segundo, com cinco. Na sequência vêm Dedé (3), Sassá (3), Pedro Rocha (2), Éderson (2), Robinho (1), Rodriguinho (1), Orejuela (1), Maurício (1) e Cacá (1). Marquinhos Gabriel e David, jogadores escalados com frequência no ataque, ainda não balançaram a rede.

De 32 jogos no Brasileiro, o Cruzeiro ficou sem balançar a rede em dez. Das sete vitórias, quatro foram marcando dois gols, e três por 1 a 0. Houve ainda um empate por 2 a 2 com o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis. E é justamente o time catarinense, dono da defesa mais vazada da Série A, com 51 gols sofridos, o próximo adversário da Raposa. A partida está marcada para segunda-feira, às 20h, no Mineirão.

Um dos mais cobrados pela torcida em função dos números ruins do ataque é o experiente Fred, de 36 anos, maior artilheiro do Brasileiro na era dos pontos corridos, com 147 gols. O lateral-esquerdo Dodô afirma que a responsabilidade pelos números ruins do Cruzeiro não pode ser atribuída exclusivamente ao camisa 9.

“É óbvio que a gente tende a focar um pouco mais no Fred, pela carreira que ele tem, mas o gol não é de responsabilidade só dele, e sim de todo o time. Como falei, no momento estamos focados em melhorar o desempenho ofensivo que passa por todos nós dentro de campo, já que nesse período a nossa defesa foi muito bem”.

O zagueiro Fabrício Bruno ressalta que a equipe cria oportunidades, porém não tem sorte no momento das finalizações. “Está faltando o gol. No clássico, o Thiago bateu uma bola de direita, uma bola que passou perto da trave. A nossa linha de frente está trabalhando arduamente para corrigir as finalizações, para conseguir os arremates para o gol. Infelizmente, muitas coisas não vêm acontecendo, mas aí você também dá méritos ao adversário, o goleiro, ao adversário que vem neutralizando nossas peças. Temos que trabalhar uma forma de surpreender”.

O Avaí, adversário do Cruzeiro, soma 17 pontos em 32 jogos e é virtual rebaixado à Série B. São 21 derrotas no torneio, sendo oito consecutivas, além de três vitórias e oito empates. O revés mais acachapante do lanterna foi para o Grêmio, por 6 a 1, no dia 26 de setembro, em Porto Alegre.

Na 16ª posição, com 35 pontos, o Cruzeiro entrará em campo na segunda-feira ciente dos resultados de seus concorrentes na luta contra o rebaixamento. O Fluminense, 17º, com 34, receberá o Atlético, às 19h de sábado, no Maracanã. O Ceará, 15º, com 36, visitará a Chapecoense às 18h de domingo, na Arena Condá, em Chapecó. No mesmo horário, o Botafogo, 15º, com 36, pegará o Athletico-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Tags: Campeonato Brasileiro Avaí Cruzeiro seriea interiormg futnacional