UAI

2

Legião estrangeira: gringos do Galo festejam épica conquista do Brasileirão

Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia e Equador....sul-americanos têm participação ativa na vitoriosa campanha alvinegra sob o comando de Cuca

06/12/2021 13:00 / atualizado em 05/12/2021 23:57
compartilhe
Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia e Equador....sul-americanos têm participação ativa na vitoriosa campanha alvinegra sob o comando de Cuca
foto: Pedro Souza/Atlético

Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia e Equador....sul-americanos têm participação ativa na vitoriosa campanha alvinegra sob o comando de Cuca



Na extensa lista de jogadores estrangeiros que vestiram a camisa do Atlético, alguns tiveram passagens marcantes e contribuíram para títulos importantes ou boas campanhas em competições nacionais. Se em 1971, na conquista do Campeonato Brasileiro, o então técnico Telê Santana contou com a 'raça' do lateral-esquerdo uruguaio Cincunegui, no épico bi, 50 anos depois, o agora comandante Cuca tem à disposição uma legião de 'gringos', cada um com sua devida relevância na equipe alvinegra. 

Alguns chegaram de forma discreta, até como apostas, outros com status de estrelas. Mas nunca o Atlético teve tantos jogadores falando 'portunhol' no mesmo grupo, durante a disputa do Brasileiro. São eles o zagueiro paraguaio Junior Alonso, os meio-campistas Nacho Fernández e Zaracho, ambos argentinos, além de Alan Franco, do Equador, Dylan Borrero (Colômbia), e os atacantes Savarino (Venezuela) e Vargas (Chile).

Dos sete gringos do grupo campeão brasileiro em 2021, apenas um chegou nesta mesma temporada: o armador Nacho Fernández, contratado ao River Plate em fevereiro. Os demais estão na Cidade do Galo desde o ano passado. Dylan Borrero foi o primeiro a desembarcar em BH, em janeiro de 2020. No mês seguinte, veio o venezuelo Savarino, que ganhou espaço com o então treinador Rafal Dudamel, seu compatriota.

Já com o argentino Jorge Sampaoli no comando, em julho chegaram o 'xerifão' Junior Alonso, contratado ao Boca Juniors, e o volante e meia Alan Franco, que veio do Independiente del Valle, do Equador. Já em outubro, o promissor armador Matías Zaracho foi anunciado pelo Galo, comprado ao Racing, de Buenos Aires. Por fim, Eduardo Vargas, primeiro chileno a defender o Atlético, desembarcou na capital mineira em novembro de 2020. 

Com a base do time terceiro colocado no Brasileiro de 2020 mantida, Cuca, que substituiu Sampaoli em fevereiro deste ano, não teve dificuldade para encaixar os gringos no esquema tático ideal. Pelo contrário, faltaram até oportunidades para alguns atuarem mais, como nos casos de Alan Franco e Dylan Borrero. O problema estava no regulamento da competição, que não permitia a inscrição de mais de cinco estrangeiros por partida. 

Os argentinos foram os mais utilizados por Cuca neste Brasileirão, com destaque para Zaracho. Titular absoluto, ele atuou em 32 jogos e marcou sete vezes. Nacho, que teve problemas físicos e ficou no banco nas últimas partidas, vem logo a seguir: 26 participações e cinco bolas na rede. O xerife Junior Alonso é o terceiro na lista dos mais assíduos, com 22 confrontos e um gol, no triunfo sobre o Fortaleza, por 2 a 0, no Castelão, em 12 de setembro. 

Estrangeiros do Galo campeões brasileiros em 2021



Capitão paraguaio


Junior Alonso, por sinal, é o segundo paraguaio a levantar a taça de uma edição do Campeonato Brasileiro como capitão. Ele seguiu os passos do também zagueiro Gamarra, que ergueu o troféu pelo Corinthians em 1998. O defensor do Galo é o sexto 'gringo' a repetir o gesto na principal competição do país. Como ocorreu com o chileno Elias Figueroa (Internacional), Hugo De León (Grêmio), Gamarra, o colombiano Freddy Rincón (Corinthians) e o argentino Carlos Tevez (Corinthians). 

Alonso, sempre contido nas declarações, bem ao seu estilo, disse que levantar a taça do Brasileiro é um feito na carreira. Mas ele deixou claro que o foco sempre esteve no título. "Eu me sentirei muito orgulhoso. Depois, se eu levantar a taça ou outro jogador levantar a taça, isso para mim é secundário. O mais importante é que o clube possa conseguir esse título e todos juntos comemoremos", comentou o xerife alvinegro, antes de o troféu ser realidade.

Gringos do Galo no Brasileirão de 2021


Matías Zaracho - 32 jogos e sete gols

Nacho Fernández - 26 jogos e cinco gols

Junior Alonso - 22 jogos e um gol

Savarino - 17 jogos e cinco gols

Vargas - 15 jogos e três gols

Dylan Borrero - 14 jogos e dois gols

Alan Franco - quatro jogos e zero gol


Compartilhe
DEPLOY_APP_TESTE [an error occurred while processing this directive] 2 2