UAI

2

Balada e bebida? Ex-Atlético nega e lista motivos do fracasso da Selegalo

Valdir Todinho vivenciou, em 1994, um dos períodos marcantes da história alvinegra, com grandes contratações e resultados frustrantes

14/07/2022 04:00 / atualizado em 14/07/2022 01:48
compartilhe
'Selegalo' tinha nomes consagrados no futebol brasileiro, como Éder, Renato Gaúcho e Neto
foto: Arquivo/EM

'Selegalo' tinha nomes consagrados no futebol brasileiro, como Éder, Renato Gaúcho e Neto

Em 1994, o Atlético foi ao mercado e montou um elenco cheio de estrelas, como Renato Gaúcho, Neto, Luís Carlos Winck, Éder Aleixo e Gaúcho. A expectativa era grande, mas, em campo, a Selegalo frustou a torcida e não conseguiu embalar.



Integrantes daquele elenco, como Neto e Gaúcho, deram a entender que as baladas e festas frequentadas pelos jogadores atrapalharam o rendimento em campo. Comandado por Valdir Espinosa, o time não conseguiu render bem e virou alvo de fortes cobranças da torcida.

Em entrevista ao Por Onde Anda?, do Superesportes, o ex-volante Valdir Todinho, que também fazia parte do grupo, falou sobre aquele momento. Ele discorda que a bebida e as festas tenham atrapalhado e listou outros motivos que podem explicar o fracasso.

"É difícil falar. Acho que não (atrapalhou). Porque na época havia jogadores que bebiam e jogavam. O próprio Guilherme mesmo, em 1999. O Guilherme bebia, mas jogava pra caramba, fazia gol pra caramba. Talvez tenha sido sistema de treinador, alguma coisa que não encaixou, jogador se acomodou porque já sabia que ia jogar…", avalia.

É uma opinião parecida com a que deu Valdir Espinosa, ao Superesportes, em 2016. "Eu nem sei se era tanta balada assim. Em outras épocas mais antigas, jogadores iam muito mais para balada. Acho que não foi essa a questão. Mas a gente não sabia. Se tivesse a informação das baladas, puniria", afirmou, à época.

Valdir Todinho, ex-volante



Chegada de Levir Culpi


Os rumos começaram a mudar quando Valdir Espinosa deu lugar a Levir Culpi no comando técnico. Ali começou a reformulação do elenco e o processo para acabar com a Selegalo. "Quando chegou o Levir, ele viu quem estava melhor fisicamente, o time começou a correr mais e encaixou. Mas por causa de bebida acho que não", reforça Todinho.

"O Levir chegou e viu o Renato Gaúcho na época com a bicicletinha, sentava à beira do campo e começou a olhar. O Levir começou a afastar os caras. Mandou o Renato e o Neto, que foi para o Santos, embora. Nós fomos para a repescagem e conseguimos chegar à semifinal do Campeonato Brasileiro, perdemos para o Corinthians. Quase fomos para a final contra o Palmeiras. O time entrosou, acertou. No final, deu certo. Os que vieram, infelizmente, não deram certo, mas eram grandes jogadores. Infelizmente, não encaixou", completou Todinho.
Compartilhe