UAI

2

Fábio no América? Relembre ex-jogadores do Cruzeiro que jogaram no Coelho

Caso acerte com o Coelho, goleiro de 41 anos aumentará a lista de atletas que vestiram as duas camisas

18/01/2022 06:00 / atualizado em 18/01/2022 10:04
compartilhe

Tostão, Fred e Fábio Júnior são alguns dos vários jogadores que defenderam as cores de Cruzeiro e América
foto: Montagem com fotos EM/DA/PRESS

Tostão, Fred e Fábio Júnior são alguns dos vários jogadores que defenderam as cores de Cruzeiro e América

 

Considerado um dos grandes ídolos da história do Cruzeiro, o goleiro Fábio deixou o clube no início deste ano após um desacordo com a diretoria celeste sobre sua renovação de contrato. Livre no mercado, o atleta está com negociações avançadas para se tornar o novo reforço do América para a temporada de 2022

 

 

Jogadores que vestiram as camisas de América e Cruzeiro

 

Ao longo das décadas, diversos jogadores atuaram com as duas camisas. Confira o levantamento feito pelo Superesportes com alguns dos principais nomes que jogaram por Coelho e Raposa:


Tostão 


Um dos melhores jogadores da história do futebol brasileiro, Tostão foi formado nas categorias de base do América, atuando por lá entre 1962 e 1963, quando tinha apenas 16 anos. Posteriormente, acabou indo para o Cruzeiro, onde se consolidou como o maior artilheiro da história do clube. Ele marcou 242 gols em 373 jogos com a camisa celeste. 

 

O ex-jogador também fez história na Seleção Brasileira, sendo campeão da Copa do Mundo de 1970 ao lado de nomes como Pelé, Piazza, Jairzinho e Gérson.

 

 


Éder Aleixo 


Apesar da grande identificação com o Atlético, clube que defendeu entre 1980 e 1985, Éder Aleixo começou sua carreira no América. O ponta-esquerda atuou com a camisa do Coelho de 1973 a 1976. Ele também teve uma breve e vitoriosa passagem pelo Cruzeiro, onde foi campeão da Copa do Brasil em 1993. 


Toninho Cerezo


Outro grande ídolo do Atlético que passou por Cruzeiro e América é Toninho Cerezo. O meio-campista atuou pela Raposa em 1994 e pelo Coelho em 1996. 


Alex Mineiro


Alex Mineiro iniciou sua carreira no América no ano de 1995. Após um breve período no Coelho, se transferiu para o Cruzeiro, atuando na equipe celeste de 1997 a 1998. Ele integrou o elenco da Raposa que venceu a Copa Libertadores de 1997. Em 2000, teve outra passagem pelo clube, mas desta vez sem títulos. 


Geovanni


Autor do gol do título do Cruzeiro na Copa do Brasil de 2000, Geovanni foi revelado pela Raposa em 1997 e pertenceu ao clube até 2001, quando foi vendido ao Barcelona por US$ 18 milhões. Ele voltaria a defender o time celeste entre 2006 e 2007, emprestado pelo Benfica. 

 

O atacante teve curta passagem pelo América em 1998, atuando sob empréstimo do Cruzeiro. Pouco antes de se aposentar, retornou ao Coelho para uma passagem entre os anos de 2012 e 2013.


Ruy 


Ruy foi revelado pelo América em 2000. Após ganhar os títulos da Copa Sul-Minas de 2000 e do Campeonato Mineiro de 2001, o meio-campista/lateral virou jogador do Cruzeiro, clube que defendeu em 2002, 2003 e 2005. Sem grande sucesso individual na Toca, o jogador acabou sendo emprestado até seu contrato se encerrar.

Wagner

 

Wagner iniciou sua trajetória no América em 2002. Após se destacar no Coelho, o meia se transferiu para o Cruzeiro, onde atuou de 2004 a 2009. Disputou mais de 200 partidas na Raposa, ganhando a Bola de Prata em duas edições do Brasileirão e participando da campanha do vice-campeonato celeste na Libertadores de 2009.


Fred


Fred começou sua carreira em 2003, quando marcou o gol mais rápido do Brasil com a camisa do América, pela Copa São Paulo de Futebol Júnior.

 

Após se destacar pelo Coelho, ele se transferiu para o Cruzeiro em 2004, reeditando na Raposa a dupla que fazia com Wagner no Alviverde. Em sua primeira passagem pela Toca, marcou 56 gols em 71 jogos. Os números chamaram a atenção do futebol europeu, e Fred foi vendido ao Lyon no meio de 2005. 

 

Ele retornaria para uma segunda passagem no Cruzeiro 13 anos depois. Entre 2018 e 2019, marcou mais 25 gols com a camisa celeste e se isolou na artilharia do clube no século XXI, com 81 gols marcados.


Fábio Júnior 


Fábio Júnior foi revelado pelo Cruzeiro em 1997. Ele foi um dos destaques do time celeste vice-campeão da Copa do Brasil, do Brasileirão e da Copa Mercosul em 1998. Os bons números com a camisa estrelada levaram o atacante à Roma.

 

Sem sucesso no futebol italiano, em 2000 ele retornou ao Cruzeiro por empréstimo. Nessa temporada, foi campeão da Copa do Brasil. Após mais uma saída, voltou a vestir a camisa celeste em 2002, também emprestado pela Roma. Ao todo, o atacante fez 190 jogos pelo Cruzeiro e anotou 81 gols.

 

Ele defendeu as cores do América entre 2010 e 2013. Apesar de não ter conquistado títulos, se consolidou como o maior artilheiro do Coelho no século XXI. Fábio Júnior marcou 72 gols em 193 partidas pelo time alviverde. 


Alan Ruschel


Alan Ruschel está de saída do Cruzeiro. O atleta de 32 anos vestiu a camisa celeste no Campeonato Mineiro de 2021, mas foi emprestado ao América após o fim do torneio. No Coelho, participou da campanha de classificação para a Copa Libertadores na edição passada do Brasileirão. 

 

Após o fim do empréstimo, em dezembro do ano passado, o atleta retornou à Raposa, que o liberou para buscar outro clube. Fora dos planos do técnico Paulo Pezzolano, está livre no mercado. 


Flávio 


Quem fez o caminho inverso é o volante Flávio, que defendeu as cores do Cruzeiro na temporada de 2021. Revelado pelo América em 2020, o atleta de 21 anos foi emprestado ao rival celeste para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Após um ano apagado na Raposa, acabou retornando ao Coelho para compor o elenco alviverde que faz a pré-temporada no CT Lanna Drumond. 


Patric


Outro jogador do elenco alviverde que já passou pelo Cruzeiro é Patric. O lateral de 32 anos atuou em dois jogos pela Raposa em 2009, quando esteve na Toca sob empréstimo do Benfica. 


Em 2021, após defender o rival Atlético durante quase uma década, Patric se transferiu para o América, onde joga até hoje. Ele foi titular na campanha que classificou o Coelho para a Libertadores de 2022. 


Compartilhe