UAI

2

América: Juninho revela mudança de Mancini para o jogo contra o Atlético

Primeiro clássico mineiro da história da Copa Libertadores será realizado nesta quarta-feira (13), às 21h, no Mineirão

13/04/2022 06:00 / atualizado em 13/04/2022 03:26
compartilhe

Vagner Mancini retorna ao América com a missão de reconduzir o time ao caminho das vitórias; Coelho não vence desde o dia 19 de março
foto: Mourão Panda/América

Vagner Mancini retorna ao América com a missão de reconduzir o time ao caminho das vitórias; Coelho não vence desde o dia 19 de março

 

Vagner Mancini retornou ao América nessa terça-feira (12). Ele assumiu a vaga deixada por Marquinhos Santos, demitido após a derrota do Coelho para o Avaí (1 a 0), no último domingo, pela primeira rodada do Brasileirão. Segundo o volante Juninho, o novo treinador já impôs algumas importantes mudanças na equipe, que tem pela frente um difícil confronto com o Atlético, pela Copa Libertadores. 

 

 

 

 

primeiro clássico mineiro da história da competição será realizado nesta quarta-feira, às 21h, no Mineirão, em BH. Vagner Mancini comandará o América pela primeira vez após sua polêmica saída para o Grêmio, em 14 de outubro do ano passado. Na ocasião, os gaúchos lutavam contra o rebaixamento na Série A e fizeram uma grande proposta financeira para o treinador, que optou por deixar o Coelho e assumir o comando do Tricolor.

 

"A chegada de Mancini foi hoje (terça-feira, dia 12), então não vai achando que ele vai mudar tudo, que vai fazer tudo diferente (do jeito que o Marquinhos fazia). Não (é assim), mas ele já começou a mudar um pouquinho a nossa forma de pensar. Talvez uma confiança a mais. Uma injetada de ânimo ali no que a gente pode, naquilo que a gente já fez, que nos trouxe até aqui. Acreditar mais no que deu certo. Na verdade, aperfeiçoar mais aquilo que deu certo", revela o capitão Juninho. 

 

"Muitas vezes, nós achamos que é preciso mudar tudo porque estamos em outro status, aí começamos a abandonar aquilo que deu certo. Acho que não (deve ser assim). Se deu certo, vamos só aperfeiçoar, não vamos ficar acomodados. Eu consegui extrair isso na fala dele de hoje. Eu já vou para o clássico com esse pensamento", complementa o volante.

 

Jejum de vitórias do América contra o Atlético 

 

Em busca de reabilitação na temporada, o Alviverde tem uma dura missão diante de um Atlético com capacidade muito superior de investimento. Além da diferença técnica entre as duas equipes, o Coelho entra em campo buscando colocar um "ponto final" em um jejum de vitórias sobre o rival, que já perdura por quase seis anos.

 

Neste período, os times disputaram 19 clássicos. Houve 14 vitórias alvinegras e cinco empates. O tabu também mostra larga vantagem atleticana nos gols marcados nessas partidas: 34 a 8. A maior goleada da sequência invicta ocorreu na primeira fase do Campeonato Mineiro de 2017, quando o Galo venceu o Coelho por 4 a 1.

 

"Conhecer o Atlético todo mundo conhece, todo mundo sabe (como eles são). Só que eles vêm tendo bons resultados mesmo todo mundo conhecendo. Dentro de campo temos que executar de forma bem feita a estratégia traçada. É importante sim conhecer (o Atlético), mas é importante também acreditar naquilo que a gente vai levar para o jogo. Executar (a estratégia) e fazer da melhor forma possível, esse é o segredo do sucesso e acho que é assim que nós podemos sair vencedores (do clássico)", afirma Juninho, que não quer que o longo jejum contra o Galo seja uma carga negativa para os jogadores do América. 

 

"É o momento de nós trazermos coisas positivas para que possamos sair dessa situação. Quanto mais confiantes nós estivermos, é melhor e mais fácil para que tenhamos uma boa atuação. Então vamos trazer coisas positivas aqui para dentro, sabendo das nossas responsabilidades", finalizou. 

 

 


Compartilhe