UAI

2

Menin sobre orçamento do Atlético para 2022: 'Não prevê nenhum empréstimo'

Investidor do Galo projeta um ano mais tranquilo para o clube em termos financeiros

19/01/2022 11:22 / atualizado em 19/01/2022 11:21
compartilhe
'Se tudo der certo, o Atlético vai caminhar com as próprias pernas', disse Rubens Menin
foto: Pedro Souza/Atlético

'Se tudo der certo, o Atlético vai caminhar com as próprias pernas', disse Rubens Menin


O Atlético não deve precisar recorrer aos investidores em 2022. A informação foi revelada pelo principal mecenas do clube, Rubens Menin, em entrevista à Rádio Bandeirantes nessa terça-feira (18).

Em dezembro, o clube enviou ao Conselho Deliberativo a previsão orçamentária para 2022. A expectativa é alcançar uma arrecadação de R$471,3 milhões, sendo R$447,2 milhões relacionados ao futebol. Houve um aumento de cerca de R$70 milhões em comparação aos R$401,1 milhões esperados em 2021 (R$377,4 milhões com a equipe profissional).

Com o orçamento mais robusto, Menin explica que o Galo não deve precisar de novos empréstimos neste ano e espera que o alvinegro 'caminhe com as próprias pernas'.

"Vai ser publicado agora o balanço de 2021 do Atlético. Já vimos uma prévia, é um balanço interessante, porque o Atlético teve geração de caixa, era o que queríamos. Pagamos muitas dívidas, e mesmo assim foi um ano bom para o Atlético. O orçamento deste ano não prevê nenhum empréstimo novo. Se tudo der certo, o Atlético vai caminhar com as próprias pernas. Vai ter um orçamento robusto e poderá manter o time", afirmou Menin.

Caso isso ocorra, o Atlético vai interromper a sequência de dois anos seguidos recebendo dinheiro dos 4 R's: Rafael Menin, Renato Guimarães e Renato Salvador, além do próprio Rubens. 

O maior investimento foi feito em 2020, quando o clube fez grande reformulação no plantel. No ano seguinte, já sob a gestão do presidente Sérgio Coelho, o Galo contratou menos jogadores, mas com salários altos, como Hulk e Diego Costa, além da compra de Nacho Fernández junto ao River Plate-ARG.

"O que a gente quer, quando demos esse gás inicial, sabíamos que se não déssemos, o Atlético ia passar alguns anos com dificuldade, como muitos clubes estão passando, então era necessário que aquele gás fosse dado. E que a partir de um momento, com administração séria, competente, que o clube caminhe com as próprias pernas. Um clube que depende das doações do dono, não é um clube saudável", explicou Menin.

Onde estão e para onde vão os jogadores emprestados pelo Atlético



O Atlético faturou mais de R$ 144 milhões com a conquista dos campeonatos Mineiro e Brasileiro e da Copa do Brasil e a ida até a semifinal da Copa Libertadores.

Além do sucesso na última temporada, o alvinegro pretende manter as finanças positivas neste ano com boas campanhas, receitas de direitos de imagem, venda de jogadores e bilheteria. Veja aqui a previsão detalhada para o orçamento do Atlético em 2022

Rubens Menin ainda disse que a ideia dos investidores daqui para frente é ter um clube autossustentável, que não dependa de ninguém além de si mesmo. 

"O que temos feito é preparar o Atlético para ser uma equipe sustentável, que entre em todos os campeonatos com uma equipe competitiva, que é o objetivo máximo de uma equipe de futebol. Não queremos continuar dando muleta ao Atlético. O Atlético tem que caminhar com as próprias pernas", afirmou o mecenas.


Compartilhe