UAI

2

Por que Tite não convoca Hulk, do Atlético, para a Seleção Brasileira?

Atacante tem números expressivos pelo Galo, mas forte concorrência e preferências do treinador têm deixado o jogador alvinegro fora das convocações

25/05/2022 04:00 / atualizado em 25/05/2022 12:55
compartilhe
Atacante Hulk comemora gol marcado pelo Atlético
foto: Pedro Souza/Atlético

Atacante Hulk comemora gol marcado pelo Atlético

Em pouco mais de um ano, Hulk acumula façanhas vestindo alvinegro. São 87 jogos, 54 gols, 16 assistências, cinco títulos conquistados e o rótulo quase inconteste de um dos principais nomes em ação no futebol nacional. O ídolo e principal jogador do multicampeão Atlético conquistou admiradores pelo país, mas ainda não conseguiu convencer o técnico da Seleção Brasileira. Afinal, por que Tite não o convoca?



Os questionamentos cresceram ao longo dos últimos meses e chegaram ao próprio treinador. "Eu aceito (convocá-lo). Convoco todos que quiserem. Só me diz quem eu tiro também. Só pode (convocar) 23 ou 26. Só dizem que eu tenho que convocar, mas não dizem quem eu tenho que tirar", afirmou o comandante, em entrevista recente ao canal Desimpedidos.

Enquanto Tite se justifica, Hulk diz focar no trabalho feito com a camisa atleticana. Em 2022, o camisa 7 melhorou os próprios números. Nas 19 partidas disputadas, marcou impressionantes 18 gols e deu três assistências. A média é superior a uma participação em gol por jogo.

"Meu foco maior é estar bem aqui no Galo, é dar o meu melhor, é somar os números no coletivo e no individual também, é claro, para, quem sabe, confundir ainda mais a cabeça do nosso professor (Tite)", disse Hulk, em entrevista na semana passada, na Cidade do Galo.

"Como sempre falo, não é fácil para o treinador da Seleção convocar 23, 26 jogadores. Tem um leque de opções com jogadores de alto nível. A concorrência é muito grande. Cabe a nós, jogadores, continuar trabalhando, fazendo o nosso melhor para que, se for chamado e tiver oportunidade, corresponder à altura", completou.



Concorrentes de Hulk na Seleção


A menos de seis meses da Copa do Mundo do Catar, Tite aparenta ainda ter dúvidas sobre quais centroavantes levará para a Copa do Mundo. Em convocações recentes, o treinador chegou a não chamar nenhum jogador para o comando do ataque. Por outro lado, a lista para os amistosos contra Coreia do Sul e Japão, em junho, tem Gabriel Jesus, Matheus Cunha e Richarlison como opções para o setor.

O trio jogou com frequência a reta final da temporada europeia. Jesus pediu a Pep Guardiola para deixar o lado do campo e ser escalado como centroavante. No setor, deslanchou e ganhou status de titular em vários dos principais jogos do semestre, tanto na Liga dos Campeões, quanto no Campeonato Inglês – vencido pelo Manchester City no fim de semana passado. Em 2022, marcou oito gols e distribuiu três assistências em 20 jogos (14 como titular).

Gabriel Jesus é um dos concorrentes de Hulk por uma vaga na Seleção
foto: Oli Scarff/AFP

Gabriel Jesus é um dos concorrentes de Hulk por uma vaga na Seleção



Mais jovem dos três, Matheus Cunha, de 22 anos, não é titular absoluto do Atlético de Madrid. Porém, foi acionado com frequência por Diego Simeone ao longo deste ano. Em 2022, marcou quatro gols e deu três assistências em 20 partidas (sete entre os 11 iniciais) com a camisa colchonera.

Richarlison, por sua vez, foi peça importante na agônica temporada do Everton, que escapou do rebaixamento na penúltima rodada do Inglês. O ex-jogador do América foi titular em 21 jogos (disputou 23 no total) em 2022, marcou oito gols e deu três assistências. Alternou entre a ponta esquerda e a posição de centroavante.

Além do trio, dois nomes despontam como concorrentes de Hulk por uma vaga na Seleção Brasileira: Roberto Firmino, do Liverpool, e Gabigol, do Flamengo. O primeiro perdeu espaço nesta temporada e só atuou 34 vezes, menor número desde que se transferiu para a Europa, em 2011. No ano, são cinco gols e duas assistências em 19 partidas (12 como titular).

Já Gabigol tem sido o principal adversário de Hulk na disputa pelas artilharias do futebol brasileiro. Apesar das críticas recentes, o flamenguista tem ótimos números no ano: são 15 gols e duas assistências em 26 confrontos (24 como titular).

Números dos centroavantes que disputam vaga na Seleção Brasileira pelos clubes em 2022


  • Gabigol (Flamengo) - 26 jogos (24 como titular), 15 gols e duas assistências
  • Gabriel Jesus (Manchester City) - 20 jogos (14 como titular), oito gols e três assistências
  • Hulk (Atlético) - 19 jogos (17 como titular), 18 gols e três assistências
  • Matheus Cunha (Atlético de Madrid) - 20 jogos (sete como titular), quatro gols e três assistências
  • Richarlison (Everton) - 23 jogos (21 como titular), oito gols e três assistências
  • Roberto Firmino (Liverpool) - 19 jogos (12 como titular), cinco gols e duas assistências

Diferença de nível


Além da concorrência, o técnico Tite tem citado as diferenças entre as ligas pelo mundo como fator analisado na hora de convocar um jogador. Por atuar no Brasil, Hulk tem um nível de enfrentamento inferior ao de jogadores como Gabriel Jesus, Richarlison, Firmino e Matheus Cunha, entende o treinador.

"É muito difícil saber o nível e quantificar isso. A gente tem que relativizar: qual é a exigência da Premier League? Qual é a exigência da Premier League contra o Espanhol? E o Francês? E o Brasileiro?", avaliou Tite, em entrevista à Jovem Pan.

"É esse acompanhamento mais aprofundado, e não aquela história de convocar pelo aspecto geográfico só porque está fora (do Brasil). Não é assim, não foi assim. Não traz esse critério", pontua.

"Traz, sim, a mensuração da qualidade técnica do atleta, do nível de exigência que está, do momento que está, sim, do nível técnico dos campeonatos que eles enfrentam. Inclusive, da qualidade dos gramados", completou o treinador, que também tem sido muito cobrado pela não convocação do meia Raphael Veiga, destaque do Palmeiras, atual bicampeão da América.

Histórico de Hulk na Seleção


Os 50 maiores artilheiros da história do Atlético



O histórico de Hulk na Seleção Brasileira é outro fator mencionado por quem tenta entender a não convocação do atleticano. O camisa 7 disputou 49 partidas com o uniforme verde e amarelo. Foram 11 gols (todos em amistosos) e cinco assistências.

Durante as convocações que recebeu, o atacante disputou a Copa do Mundo de 2014, a Copa das Confederações do ano anterior e a Copa América.

Depois de cinco anos longe da Seleção, Hulk foi convocado em setembro de 2021 para partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar. O centroavante entrou no lugar de Gabigol aos 38 minutos do segundo tempo na vitória por 2 a 0 sobre o Peru, na Arena Pernambuco, e teve pouco tempo de jogo.

Análise dos especialistas


Para tentar entender os motivos pelos quais Hulk não é convocado, o Superesportes consultou os colunistas Bob FariaCadu DonéJaeci Carvalho e Jorge Nicola.

Bob Faria


"A Seleção Brasileira deixou de ser a coleção dos melhores. Tem uma série de outros fatores levados em conta, entre eles a aproximação pessoal da comissão técnica e outras forças influenciadoras daqueles jogadores que eles convocam. Acho que Tite não acredita muito nessa coisa do 'momento'. Digamos que ele tenda a fazer uma análise mais de longo prazo, o que seria uma injustiça de qualquer forma, porque há muito tempo o Hulk vem jogando muito bem. Ele vem mostrando um potencial e já é o melhor jogador em atividade no futebol brasileiro há algum tempo.

Não é o único caso que a gente viu na Seleção Brasileira de jogadores em grande nível, que estavam fazendo toda a diferença, mas que não eram convocados. Basta lembrar, por exemplo, por que o Reinaldo não foi para a Copa do Mundo, por que o Romário quase não foi para a Copa do Mundo - teve que ser chamado às pressas para salvar o Brasil nas Eliminatórias e depois ir para a Copa do Mundo. Enfim, por teimosia dos treinadores. Eu acho que neste caso o Tite tem umas convicções que beiram à teimosia. E essa teimosia faz com que ele não convoque o Hulk, por exemplo."

Cadu Doné


"Eu, no lugar do Tite, teria chamado o Hulk mais vezes ao longo dessa trajetória de preparação para a Copa e teria dado mais minutos a ele em campo. A Seleção Brasileira tem uma concorrência nivelada por cima em várias posições, inclusive no ataque. Eu discordo do Tite, mas não acho um crime. Não por demérito do Hulk, mas porque há bons jogadores ali.

Tentando entender os critérios do Tite: muita gente fala, e isso é inegável, já há muitos anos, quando a Seleção Brasileira passou a ser formada basicamente por atletas de fora, a gente enxerga uma preferência de técnicos brasileiros com relação a quem joga na Europa. A gente não consegue entrar na cabeça do Tite e medir até que ponto essa questão pesa, mas eu tenho a impressão de que sim. Tenho a impressão de que se o Hulk jogasse exatamente o que joga, mas num time da Europa minimamente famoso, ele seria convocado.

Há uma outra coisa que a gente tem que tomar cuidado, que vou colocar agora, que é a questão de estar em vitrines maiores. Não no que se refere aos clubes, porque o Atlético está no maior (patamar) possível junto com Palmeiras e Flamengo, mas naquela coisa que a gente está acostumado, o midiático de Rio e São Paulo. Talvez se ele jogasse o mesmo tanto que ele joga no Corinthians, no Flamengo, no Palmeiras, até no inconsciente do treinador e do senso comum popular, poderia ser convocado ou até a pressão (pela convocação) seria maior.

Eu não sei em que medida a idade ou o fato de ele já ter tido espaço na Seleção podem para o Tite funcionar como argumento. É mais ou menos na linha: 'Ele não teve muitas chances comigo, mas teve chances na Seleção, mais novo'. Mas eu não concordo com esse argumento, porque o cara pode estar mais velho e jogar melhor do que antes. Mesmo que ele já jogasse bem e não merecesse as críticas que recebeu lá atrás, hoje, como um centroavante livre, podendo fazer o que ele quiser - no melhor dos sentidos -, ele tem jogado melhor ainda do que há um tempo."


Jaeci Carvalho


"Eu acho que o Hulk não é convocado pelo histórico dele na Seleção Brasileira. Disputou Copa do Mundo, participou do 7 a 1, Copa América, Copa das Confederações, Eliminatórias. Ele tem 11 gols em amistosos, mas gols em jogos oficiais ele não conseguiu fazer com a camisa amarela. Fez um gol pela Seleção Olímpica em Londres, 2012, na derrota para o México na final. Ele não tem histórico, nem história na Seleção, porque é um centroavante - e centroavante vive de gols.

Agora, se você for analisar o momento do Hulk, ele teria que ser convocado. Se Seleção é momento, então ele teria que ser convocado. Há vários jogadores à frente dele. E um detalhe importante: ele tem 35 anos. Os mais jovens estão voando. Copa do Mundo não é fácil jogar com essa idade, ainda mais no Catar, com temperaturas elevadas, ainda que em novembro. Então, acho que realmente o Hulk não cabe mais na Seleção.

É contraditório, porque eu mesmo estou dizendo: se Seleção é momento, ele é o melhor jogador no Brasil na atualidade, então ele teria que ser convocado. Mas o histórico dele na Seleção não permite que seja convocado. O Tite até convocou para dar uma satisfação à torcida, usou o Hulk por três, quatro minutos nas Eliminatórias, mas com certeza o Hulk não estará na Copa do Mundo."

Jorge Nicola


"O que mais pesa contra o Hulk é o fato de seu sucesso ser feito na liga brasileira. Sim, a gente precisa, na minha opinião, relativizar o nosso nível futebolístico, especialmente porque os concorrentes do Hulk e do Raphael Veiga atuam na Europa. O exemplo do meia palmeirense ajuda a entender meu raciocínio: o Veiga tem jogado muito bem por aqui, mas será que ele seria capaz de ser protagonista na liga inglesa?

'Ah, mas o Coutinho não jogou bem no Barcelona'. Verdade, mas já havia se provado no Liverpool e voltou a ser importante no Aston Villa. Mas é o Aston Villa, Nicola! Sim, só que o nível de enfrentamento do Aston Villa é mil vezes maior que o do Palmeiras. Manchester City, Chelsea, Arsenal, United, Tottenham, Wolverhampton e por aí vaí.

Voltando ao caso do Hulk! O atleticano foi, de longe, o melhor jogador em atividade no Brasil, mas seu feito perde um pouco de valor porque a Copa do Mundo é quase que essencialmente formada por atletas que se enfrentam na Europa. Ainda assim, apesar de tudo o que escrevi, ainda consigo entender mais a convocação do Hulk do que a do Veiga. Porque o Hulk exerce uma função em falta entre os convocados de Tite: a de centroavante. Mas, se ele não estiver na relação final de convocados, na minha opinião, não haverá motivo para grandes contestações."



Compartilhe