UAI

2

Corinthians: acusado de injúria racial, Rafael Ramos viaja para Argentina

Timão enfrenta o Boca Juniors nesta terça-feira (17), às 21h30, na La Bombonera, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores

15/05/2022 16:44
compartilhe
Rafael Ramos foi acusado de injúria racial contra Edenílson, do Internacional
foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Rafael Ramos foi acusado de injúria racial contra Edenílson, do Internacional

O lateral-direito Rafael Ramos, acusado de injúria racial pelo meio-campista Edenílson neste último sábado, viajará com o Corinthians para Buenos Aires. A delegação alvinegra embarca neste domingo para a Argentina, onde enfrenta o Boca Juniors na próxima terça-feira. A informação foi divulgada pelo GE e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Apesar de viajar com o grupo, Rafael não está inscrito na Libertadores e, portanto, não pode ser relacionado. No empate contra o Deportivo Cali, o técnico Vítor Pereira teve que improvisar Lucas Piton como lateral-direito devido à lesão de Fagner. João Pedro, outro lateral do elenco, não atua desde o dia 10 de abril por conta de questões físicas.

O Timão fez seu último treino em solo brasileiro na manhã deste domingo e deve partir para Buenos Aires no período da tarde. Fagner, com dores no tornozelo, é dúvida para o importante jogo contra os Xeneizes. A partida contra o Boca será terça-feira, às 21h30 (de Brasília), na Bombonera.

Entenda a acusação feita por Edenílson contra Rafael Ramos


O Corinthians empatou com o Internacional por 2 a 2 neste último sábado. Perto dos 30 minutos do segundo tempo, o meio-campista Edenílson acusou o lateral Rafael Ramos de tê-lo chamado de "macaco". Roberto de Andrade, diretor de futebol do Alvinegro, disse que Rafael afirmou ter dito "mano c...".

Segundo informações divulgadas pelo UOL, o jogador foi preso em flagrante e foi detido no posto policial do Beira-Rio. O atleta foi liberado mediante pagamento de fiança, estipulada em R$ 10 mil.

O Corinthians se pronunciou em seu site oficial e redes sociais sobre o caso envolvendo seu lateral-direito. Em nota, o clube afirmou que, "coerente com seus 111 anos de história, repudia e não compactua com o racismo". Além disso, que ouviu a versão do jogador português e que ele, "seguro de que não proferiu injúria racial, fez questão de se explicar a Edenilson, no vestiário do Internacional".

Rafael Ramos falou em zona mista sobre o caso. "Estou aqui de consciência e cabeça limpa para explicar o que aconteceu. Foi puramente um mal-entendido entre mim e o Edenílson. Inclusive, depois do jogo, já fui ter com ele e tivemos uma conversa tranquila, expliquei a verdade daquilo que eu tinha dito."

"Tivemos uma conversa tranquila. Ele ainda mostrou um pouco de receio de se passar de mentiroso, mas eu disse que ele não era mentiroso, que apenas entendeu as palavras errado. Apertamos a mão, desejo boa sorte e foi isso que aconteceu", complementou.

Compartilhe